Modelo negra de propaganda da Dove diz que vídeo não é racista

Hidratantes da marca Dove à venda em Toronto 08/10/2017 REUTERS/Chris Helgren

LONDRES (Reuters) - A modelo negra que apareceu em uma propaganda da Dove acusada de racismo por muitos usuários em redes sociais defendeu o comercial, dizendo que, longe de menosprezar mulheres negras, o vídeo celebra a diversidade étnica.

Lola Ogunyemi se viu no centro de uma polêmica internacional causada por um vídeo de 3 segundos publicado na página da Dove Estados Unidos no Facebook em que aparecia retirando uma camiseta para revelar uma mulher branca, que também tirava sua camisa, revelando uma mulher asiática.

"Eu não acho que foi racista", disse, em entrevista à BBC, nesta quarta-feira.

Muitos usuários do Facebook e do Twitter disseram que o vídeo sugeria que pessoas brancas são mais limpas ou mais bonitas que pessoas negras e relacionaram o comercial a propagandas de sabão do século 19, que mostravam pessoas negras se lavando para se tornar brancas.

Entretanto, Lola disse que os trechos do vídeo compartilhados na internet durante o fim de semana --que, em sua maioria, mostravam apenas ela e a mulher branca, deixando de fora a mulher asiática- -causaram a impressão errada.

Ela disse que havia uma versão de 30 segundos feita para a TV que contava com outras imagens e com um slogan que deixavam muito mais claro que a intenção era dizer que todas as mulheres merecem produtos de qualidade.

A Dove pediu desculpas pelo vídeo.

(Reportagem de Estelle Shirbon)