Moeda venezuelana apreendida no Rio seria usada em falsificação, diz polícia

NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Depois de iniciar as investigações com a suspeita de tráfico de armas, a polícia do Rio incluiu a possibilidade de que uma quadrilha de falsificadores de dinheiro seja responsável pela entrada no país dos 40 milhões de bolívares venezuelanos encontrados na última segunda (13).

O dinheiro estava acondicionado em 12 malas dentro de dois carros roubados, que foram abordados pela polícia após denúncia anônima.

"A princípio, como estava em área com atuação do tráfico, suspeitamos de que fosse usado para compra de armas. Agora, começa a surgir a possibilidade de falsificação de moeda", disse o delegado André Neves, da 17ª delegacia de polícia.

Cédulas venezuelanas têm sido utilizadas por falsificadores para produzir dólares falsos, devido ao baixo valor no mercado. Em 2016, houve pelo menos sete grandes apreensões de bolívares no Brasil.

A polícia informou que, pelo câmbio oficial, os 40 milhões de bolívares encontrados no Rio equivaleriam a R$ 12 milhões. Mas esta cotação é mantida artificialmente pelo governo e, nas ruas, o valor é bem menor.

Segundo cotações do site DolarToday, que acompanha o mercado paralelo de câmbio na Venezuela, o valor equivaleria a cerca de R$ 45 mil.

"A grande pergunta agora é: como esse dinheiro entrou no Brasil?", comenta o delegado Neves. Ele diz que a polícia do Rio pode pedir auxílio da Polícia Federal para investigar o esquema.

Mas adianta que, diante da fuga dos bandidos que estavam nos carros roubados, será difícil mais rastrear a quadrilha.