Visita polémica de Mohammed Bin Salman a França

O Príncipe saudita foi recebido pelo presidente francês no Palácio do Eliseu, em Paris, França, esta quinta-feira à noite, numa das paragens da viagem à Europa.

Apesar dos protestos de ativistas dos direitos humanos e do caso Jamal Khashoggi, o jornalista que foi assassinado na Turquia, Emmanuel Macron e Mohammed Bin Salman jantaram juntos num encontro de negócios.

Os especialistas acreditam que a crise energética será um dos temas entre os dois líderes.

"Haverá discussões sobre petróleo, sobre entregas de petróleo com contratos que sem dúvida são perigosos", admitiu Jean-Claude Samouiller, presidente da Amnistia Internacional em França.

Samouiller acredita também que os assuntos mais polémicos não vão ficar esquecidos. "Não devem contornar a situação dos direitos humanos na Arábia Saudita, que é verdadeiramente catastrófica.", disse Samouiller.

O presidente da Amnistia Internacional em França analisa a passagem do Príncipe saudita pela Europa como uma espécie de "ofensiva de charme".

Mas foi Joe Biden a ir ao encontro de Bin Salman, na Arábia Saudita, há duas semanas. Biden disse ter confrontado o Príncipe herdeiro com a morte de Jamal Khashoggi, o jornalista saudita assassinado na Turquia.

Mohammad Bin Salman terá recusado estar envolvido no caso. Versão contrária têm os serviços secretos norte-americanos, que na altura acusaram o príncipe herdeiro de mandar matar Jamal Khashoggi.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos