Molusco em forma de verme gigante é encontrado pela primeira vez nas Filipinas

Um raro molusco (Kuphus Polythalamia) que se parece com um verme negro gigante e vive na lama do fundo do mar foi encontrado pela primeira vez por cientistas nas Filipinas

Um raro molusco que se parece com um verme negro gigante e vive na lama do fundo do mar foi encontrado pela primeira vez por cientistas nas Filipinas.

A espécie, conhecida como teredo-gigante e cujo nome científico é Kuphus Polythalamia, é um molusco bivalve vermiforme que possui uma concha em forma de tubo.

O animal pode medir até 155 centímetros de comprimento e leva uma vida sedentária em sedimentos oceânicos, alimentando-se de resíduos produzidos por micro-organismos que vivem em suas brânquias.

"Estamos surpresos. Esta é a primeira vez que vemos uma espécie da família Teredo tão grande como esta. Normalmente, esses animais têm o tamanho de um palito de fósforo e são brancos", disse à AFP a bióloga marinha filipina Julie Albano.

O teredo-gigante é radicalmente diferente das outras espécies da mesma família, como o Teredo navalis, que se alimentam de madeira em decomposição.

Os pesquisadores que analisaram a criatura rara descobriram que, apesar de ter um sistema digestivo próprio, este é atrofiado, e a espécie depende de bactérias que vivem em suas brânquias para sobreviver.

Esses micro-organismo digerem o sulfeto de hidrogênio - um gás que cheira a ovos podres - da lama e emitem o carbono orgânico que serve de alimento para o molusco.

"Nós suspeitávamos que o teredo-gigante, uma espécie que nunca havia sido estudada, era completamente diferente de outros teredos que comem madeira. O fato de encontrar o animal confirmou isso", disse Margo Haygood, professora da Universidade de Utah que participou do estudo.

Apesar da existência desse molusco ter sido documentada no século XVIII e do acesso às suas conchas ser comum, esta foi a primeira vez que os cientistas encontraram e estudaram um exemplar vivo, confirmou um artigo publicado nesta semana na revista americana Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

"Esta espécie extraordinária ainda precisa ser descrita e explicada de maneira exaustiva", afirma o estudo.

Os exemplares estudados foram descobertos em uma lagoa nas Filipinas, na cidade costeira de Kalamansing, situada na província de Sultan Kudarat, e suas bactérias estão sendo estudadas para possíveis usos farmacêuticos, afirma Albano.

Embora esse animal de aparência estranha seja novo para os cientistas marinhos internacionais, eles são conhecidos pela população local há anos.

"O teredo é comestível, tem gosto de polvo", afirma a bióloga marinha. "Os habitantes locais o comem e o utilizam como um afrodisíaco".