Momentos furtivamente compartilhados entre Elizabeth II e seus súditos

Ao longo de sua vida, Elizabeth II teve poucas oportunidades, habilmente organizadas ou momentos clandestinos, nos quais ela compartilhou a vida cotidiana com seus súditos.

- Uma princesa escondida -

Em 8 de maio de 1945, os londrinos foram tomados de alegria com o anúncio do fim da Segunda Guerra Mundial. Elizabeth, então uma jovem princesa, misturou-se à multidão reunida do lado de fora do Palácio de Buckingham para cumprimentar seu pai, o rei George VI, ao lado de sua irmã Margaret.

"Caminhamos quilômetros pelas ruas. Lembro-me das filas de estranhos andando de braços dados por Whitehall, e fomos arrebatados por ondas de alívio e felicidade", disse ela à BBC em uma rara entrevista de 1985.

"Lembro que estávamos com medo de sermos reconhecidas", disse a rainha, que tinha 19 anos na época. Depois de caminhar pelas ruas de Londres, a princesa e sua irmã chegaram a Buckingham e gritaram "queremos ver o rei".

"E conseguimos ver meus pais quando saíram na varanda", disse ela. "Acho que foi uma das noites mais inesquecíveis da minha vida."

- Elizabeth anda de metrô -

Em 7 de março de 1969, a rainha pegou o metrô pela segunda vez na vida, por ocasião da inauguração de um novo trecho da rede londrina.

"Ao chegar à estação de Green Park, onde deveria comprar sua passagem, a rainha depositou uma moeda de seis pence em um dispensador automático, mas a máquina rejeitou a moeda.

Uma segunda tentativa também foi mal sucedida", descreveu a AFP. Elizabeth II, "que pegou o metrô pela primeira vez em 1939, fez uma curta viagem na cabine, junto com o motorista, que aos 63 anos viveu seu dia de glória, após 34 anos de serviço", acrescentou a agência.

- Um chá na Escócia -

Após a morte da princesa Diana em 1997, o Palácio de Buckingham tentou aproximar a rainha de seus súditos, impressionados com sua aparente frieza.

Elizabeth II então visitou um McDonald's, uma loja de utensílios de cozinha, um pub... Em julho de 1999, ela apareceu no salão de uma humilde viúva escocesa para um chá improvisado em Castlemilk, perto de Glasgow.

"Vestida toda de rosa, até o chapéu que usou durante a entrevista de 15 minutos, Elizabeth II aparece na foto [publicada nas primeiras páginas da imprensa] sentada bem ereta em sua cadeira, separada de Susan McCarron por uma cozinha simples, mas com a mesa coberta para a ocasião com uma toalha de renda branca", escreveu a AFP na época.

"'Ela tomou chá, mas não tocou nos biscoitos de chocolate', comentou a imprensa, destacando também a falta de naturalidade da rainha, desacostumada a lidar tão de perto com as pessoas", informou a AFP, lembrando que sua anfitriã por um dia achou a rainha "muito simpática".

- Conversas sobre o confinamento -

No início da pandemia de coronavírus em março de 2020, Elizabeth II se mudou com seu marido, o príncipe Philip, para o Castelo de Windsor, cerca de 50 km a oeste de Londres, para se isolar lá.

Em junho desse ano, a rainha fez a sua estreia em uma plataforma digital, participando de uma videoconferência com cuidadores de idosos e deficientes para discutir como enfrentaram a primeira onda de covid-19.

Sua filha, a princesa Anne, também ficou online no que se tornou uma forma regular de comunicação para a realeza durante as restrições de sucessivos bloqueios.

A britânica Alexandra Atkins, 24, que cuida de sua mãe, pai e avó, disse que era "inacreditável" ver membros da família real na videochamada. "Percebi que estava sentada no meu quarto conversando com a princesa real (Anne) e a rainha", exclamou ela.

ber/acc/mar/jc/mvv