Mongólia registra primeiros contágios internos de covid-19

·1 minuto de leitura
Funcionários limpam a praça Sukhbaatar de Ulan Bator, capital da Mongólia, em março de 2020 para evitar contágios de coronavírus
Funcionários limpam a praça Sukhbaatar de Ulan Bator, capital da Mongólia, em março de 2020 para evitar contágios de coronavírus

A Mongólia registrou nesta quarta-feira os primeiros contágios internos de coronavírus, depois que um caminhoneiro infectou a esposa e outros dois parentes após um período de três semanas de quarentena.

O país, que tem fronteira com China e Rússia, registrou até o momento 376 casos de covid-19, todos importados, e intensificou os controles para os visitantes, o que irritou os mongóis que moram no exterior.

Nesta quarta-feira, no entanto, o comitê nacional de emergências indicou que um motorista de caminhão que chegou à capital Ulan Bator procedente da Rússia no mês passado infectou três parentes, apesar de ter respeitado uma quarentena de três semanas, como exige a lei.

O comitê nacional de saúde divulgou os deslocamentos do caminhoneiro, que compareceu a um show com 3.000 pessoas. O governo pediu a todos que podem ter encontrado com ele que sejam submetidos a testes de diagnóstico.

A cidade foi isolada do restante das províncias e as escolas permanecerão fechadas por três dias, o que levou os moradores, tomados pelo pânico, a correr para os mercados.

str-rox/tjx/jvb/mar/fp