Montanha-russa do clima gera novos riscos para uma Austrália assolada por incêndios

Uma tempestade se arma sobre o porto de Sydney em 20 de janeiro de 2020

A montanha-russa de eventos climáticos extremos sofridos pela Austrália mina os esforços dos bombeiros para controlar os incêndios que deixaram pelo menos 29 mortos e arrasaram várias áreas do país.

Até agora, mais de 10 milhões de hectares foram consumidos pelos incêndios, que mataram centenas de milhões de animais e destruíram mais de 2.000 casas.

Algumas regiões acolheram com alívio as fortes chuvas, mas as autoridades advertiram que algumas tempestades complicam uma situação já difícil e que o risco de incêndios pode aumentar nos próximos dias.

"Nos últimos dias, vivemos uma montanha-russa climática", afirmou o meteorologista Kevin Parkin.

"Fomos dos incêndios às tempestades e às inundações e a uma chuva de granizos gigantes - do tamanho de limões -, que causaram danos generalizados. O risco de mais incêndios está na porta", completou o meteorologista.

O país sofreu um choque de eventos climáticos extremos na última semana, com fortes tempestades elétricas, de areia e de granizo, que se abateram sobre as zonas já afetadas pelas chamas no leste do território.

A mudança climática piorou a temporada de incêndios, dizem os especialistas.

O estado de Victoria registrou intensas chuvas nas últimas 48 horas, as quais ajudaram a conter os incêndios em algumas zonas. Ao mesmo tempo, os deslizamentos de terra, a queda de árvores e os cortes de energia minam os esforços de recuperação.

Segundo o primeiro-ministro do estado, Daniel Andrews, a chuva significa "condições muito mais perigosas" para os operadores de máquinas pesadas entrarem em áreas afetadas por incêndios, enquanto deslizamentos de terra complicam os esforços para abrir estradas fechadas.

As temperaturas em Victoria devem ficar em torno de 35ºC a partir de quarta-feira e estarão acompanhadas de fortes ventos. A mudança já fez soar os alertas na parte oeste do estado, onde as autoridades advertiram sobre a dificuldade de conter novos incêndios.

"Os novos incêndios em comunidades mal preparadas são o maior risco", disse à imprensa o responsável pelo serviço de bombeiros local, Steve Warrington.

Chuvas são esperadas amanhã no estado no fim do dia.

Mais ao norte, no estado de Nova Gales do Sul, algumas zonas agradeceram pelas chuvas. Em outras, já muito castigadas pelo fogo, o terreno encharcado dificulta as queimas preventivas controladas realizadas em antecipação a novos incêndios.

Imagens impressionantes do fim de semana no oeste deste estado mostravam uma tempestade de poeira que se encaminhava para cidades do interior. Moradores relataram que parecia ser de noite no meio do dia.

As autoridades se preparam para um risco alto de incêndios a partir de quinta-feira, quando os termômetros devem passar dos 40ºC em algumas regiões do estado.