Rodovia bilionária que leva a lugar nenhum pode quebrar Montenegro

·3 minuto de leitura
Trecho da rodovia Bar-Boljare, que vai ligar a cidade na costa do Mar Adriático de Montenegro à Sérvia, em foto feita perto de Matesevo em 11 de maio de 2021
Trecho da rodovia Bar-Boljare, que vai ligar a cidade na costa do Mar Adriático de Montenegro à Sérvia, em foto feita perto de Matesevo em 11 de maio de 2021
  • Uma rodovia que está sendo construída em Montenegro leva a lugar nenhum

  • Com um empréstimo quase bilionário da China, o governo do país europeu concluiu 41km da estrada

  • A rodovia liga a costa do mar Adriático ao país vizinho, Sérvia, porém faltam 130km para o fim das obras

Montenegro, país europeu com pouco mais de 600 mil habitantes, está construindo uma rodovia de 41 quilômetros, ao custo de quase US$ 1 bilhão, que até o momento não leva a lugar nenhum e ameaça quebrar a economia do país.

Quando for concluída, a estrada Bar-Boljare vai conectar a cidade de Bar, na costa do mar Adriático em Montenegro, à vizinha Sérvia, passando pela capital Podgorica.

O governo já gastou US$ 944 milhões em empréstimo com um banco chinês para concluir o primeiro trecho da rodovia, entre Podgorica e Matesevo. Ainda é preciso fazer mais 130 km para terminá-la, a um custo provável de, no mínimo, mais US$ 1,2 bilhão. Faltam as ligações entre Bar e Podgorica e entre Matesevo e a fronteira com a Sérvia.

Além disso, a própria Sérvia ainda não assinou acordos para a construção do trecho montanhoso que ligará a autoestrada à sua capital, Belgrado.

Trabalhadores chineses passaram seis anos cavando túneis em rocha sólida e erguendo pilares de concreto acima de desfiladeiros, e o trecho que liga o vilarejo de Matesevo aos subúrbios da capital, Podgorica, será inaugurado em novembro.

O prazo para começar a quitar o empréstimo começa em julho, antes mesmo de o primeiro trecho ficar pronto (que deveria ter sido inaugurado em maio de 2019, mas atrasou). Caso a dívida não seja paga, uma comissão de arbitragem em Pequim pode obrigar Montenegro a ceder a gestão de importantes infraestruturas do país, segundo cópia do contrato à qual a agência de notícias France Presse teve acesso.

O empréstimo de US$ 944 milhões equivale a cerca de 15% do Produto Interno Bruto (PIB) que o país tinha antes da pandemia e um quinto da sua dívida externa.

Para piorar, Montenegro é um dos países mais afetados pela Covid-19 do mundo e a pandemia devastou a indústria do turismo, sua principal fonte de renda. A pequena nação dos Bálcãs tem o 2º maior número de casos confirmados em relação à população e o 7º maior número de mortes proporcionais. São mais de 158 mil infectados a cada 1 milhão de montenegrinos, atrás apenas de Andorra, um pequeno principado independente encravado entre a França e a Espanha nos Pirineus.

Montenegro tem também 2,5 mil mortes por Covid-19 a cada 1 milhão de habitantes, atrás apenas de Hungria, República Tcheca, Bósnia e Herzegovina, San Marino, Macedônia do Norte e Bulgária.

Além disso, o país aplicou apenas menos de 29 doses de vacinas contra o novo coronavírus a cada 100 habitantes, patamar próximo ao do Brasil (30) e um pouco acima da média mundial (23). Mas a imunização está muito abaixo da média da Europa (45) e de países referência na vacinação contra a Covid-19, como Israel (122), Chile (94), Reino Unido (92), Estados Unidos (86) e Uruguai (77).

Os dados são do "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford.