Morador é baleado e morre durante tiroteio entre criminosos no Morro dos Macacos

Pelo terceiro dia consecutivo, moradores do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, sofrem com uma guerra entre traficantes rivais na favela. Quem vive na região conta que a facção, a maior do estado, que controla o Morro de São João, no Engenho Novo, tenta tomar o Macacos. Na manhã desta sexta-feira (13), uma viatura da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da favela reforça o patrulhamento na Rua Visconde Santa Isabel, na entrada da favela.

Ontem, quinta-feira, o catador Eduardo da Cruz Guimarães, o MC Dallas, de 28 anos, foi baleado e morreu à espera de socorro. Por conta dos disparos incessantes, não foi possível fazer o resgate do rapaz. Já nesta madrugada, houve relatos de novos confrontos com um forte tiroteio e até de barulho de granadas.

De acordo com informações de familiares, MC Dallas tinha saído da casa de um amigo para voltar para casa dele no alto da comunidade. No caminho, Eduardo teria encontrado os traficantes que invadiram o Morro dos Macacos e foi baleado.

O tiro atingiu a perna do rapaz, mas o socorro demorou. Parentes contaram que a Associação de Moradores dos Macacos foi avisada, mas ninguém conseguia chegar ao local por causa do intenso tiroteio.

Eduardo só foi encontrado na manhã de quinta, depois que o dia amanheceu. Quando deu entrada no Hospital Federal do Andaraí, já estava sem vida. O corpo do rapaz foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) no Centro do Rio.

Amigos contam que Eduardo tinha sinais de autismo, mas o diagnóstico nunca foi confirmado. Ele era catador de material reciclável, mas gostava mesmo de cantar e sonhava em ser MC.

A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) assumiu as investigações da morte do catador de recicláveis. Os investigadores deverão ouvir parentes e amigos do rapaz nos próximos dias, e tentam descobrir a autoria do crime.

Após a morte, amigos publicaram homenagens a Eduardo nas redes sociais. “Todos nós perdemos um torcedor fanático pelo galo, um artista, MC Dallas, como gostava de ser chamado e conhecido pela comunidade", diz uma mensagem.

Em outra postagem, Eduardo é chamado de menino de ouro e a pessoa afirma que ele não tinha relação com a disputa entre traficantes. “Nosso menino de ouro não tinha nada a ver com essa guerra” .

Ontem, por causa dos confrontos, oito escolas da região do Morro dos Macacos não abriram, de acordo com a Secretaria municipal de Educação. O Centro Municipal de Saúde e a Clínica da Família suspenderam as visitas domiciliares. A Polícia Militar informou que reforçou o policiamento na região.

Diversas casas que ficam entre as ruas Doutor Heleno Brandão e Senador Nabuco, na entrada do Morro dos Macacos, ficaram crivadas por marcas de tiros de fuzil. Os moradores evitam falar sobre a situação conflagrada da região. No entanto, no vai e vem dos pedestres escuta-se: “A situação não está nada calma. Só Deus para nos guardar”.

Nessas duas ruas, que a PM diz ter um ponto de venda de drogas, um veículo blindado da corporação está parado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos