Moradores afegãos fogem de área tomada pelo Talibã em Kandahar

·3 minuto de leitura

Os talibãs tomaram, neste domingo (4), o distrito de Panjwai, em seu antigo reduto na província de Kandahar, depois de combates noturnos contra as forças afegãs, forçando a fuga de dezenas de famílias da área.

Desde que Washington começou, em 1º de maio, a repatriar suas tropas do Afeganistão, após 20 anos de guerra, o Talibã intensificou suas ofensivas contra as forças afegãs, assumindo o controle de muitas áreas rurais em todo o país.

Localizada a cerca de quinze quilômetros da cidade de Kandahar, a capital da província, Panjwai foi por muito tempo reduto do Talibã e palco durante anos de combates entre os insurgentes e as tropas da OTAN.

A conquista deste distrito - onde nasceu o líder talibã Hibatullah Akhundzada - fez com que dezenas de famílias fugissem da área.

A captura de Panjwai ocorre dois dias após a partida das tropas americanas e da OTAN de Bagram, sua base mais importante no Afeganistão, localizada 50 km ao norte de Cabul e o centro nevrálgico das operações da coalizão contra os insurgentes islâmicos nos últimos 20 anos.

De acordo com o governador do distrito de Panjwai, Hasti Mohammad, os talibãs e as forças afegãs entraram em confronto durante a noite.

"Os talibãs tomaram a sede da polícia e o prédio do governo", explicou à AFP.

O presidente do conselho provincial de Kandahar, Jan Khakriwal, confirmou a queda de Panjwai e acusou as forças afegãs, "em número suficiente" na área, de uma "retirada intencional".

Kandahar é o berço do movimento talibã, que tomou o poder no Afeganistão em 1996, estabelecendo um regime islâmico ultrarrigoroso antes de ser derrubado por uma coalizão liderada pelos Estados Unidos em 2001, após os ataques de 11 de setembro.

- "Não haverá paz" -

Dezenas de famílias fugiram de suas casas no distrito de Panjwai após sua captura pelo Talibã, relatou um correspondente da AFP.

"Tivemos que fugir do vilarejo. O Talibã atirou contra o nosso carro, enquanto eu fugia com minha família. Pelo menos cinco balas atingiram o carro", mas ninguém ficou ferido, disse à AFP Giran, um morador de Panjwai que encontrou refúgio em Kandahar.

"Eles estão no alto e atiram em todos os veículos em movimento", contou.

"As pessoas querem paz, mas não haverá paz. O Talibã quer poder, não quer paz", acrescentou.

Panjwai é o quinto distrito da província de Kandahar a cair nas mãos do Talibã nas últimas semanas.

Esta tarde, o secretário do governador de Kandahar foi morto na explosão de uma bomba colocada em seu carro em frente à governadoria, informou o ministério do Interior.

Os confrontos intensificaram-se nas últimas semanas em várias províncias afegãs e os talibãs afirmam controlar uma centena dos quase 400 distritos do país.

As autoridades afegãs contestam esse número, mas admitem que as forças do governo se retiraram de alguns distritos e é difícil verificar a situação no local de forma independente.

A retirada das forças estrangeiras de Bagram e, a curto prazo, do Afeganistão, faz os observadores temerem que o exército vacile no combate aos insurgentes sem o apoio aéreo fornecido até agora pelas forças americanas.

Alguns especialistas acreditam que essa falta de apoio aéreo às forças afegãs é uma das principais razões para as recentes conquistas dos talibãs.

A Casa Branca anunciou na sexta-feira que a retirada total das tropas americanas seria concluída até o final de agosto, encerrando a guerra mais longa da história dos Estados Unidos.

Em maio, havia quase 9.500 soldados estrangeiros no Afeganistão, incluindo 2.500 americanos.

str-emh-jds/jfx/ayv/at/me

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos