Moradores de bairro popular rejeitam presença de candidato da extrema-direita no Chile

·2 min de leitura
Foto difundida por la Agencia Total de Noticias (Aton) de Chile muestra al candidato presidencial chileno de ultraderecha José Antonio Kast (C) protegido por sus guardaespaldas de los ataques de militantes opositores durante un mitin en el barrio popular Lo Espejo, área metropolitana de Santiago, el 24 de noviembre de 2021. (AFP/Javier SALVO)

A visita nesta quarta-feira (24) do candidato presidencial de extrema-direita do Chile, José Antonio Kast, a um bairro popular da capital Santiago, gerou incidentes com os moradores, que rechaçaram sua presença em um ato de campanha para o segundo turno, que acontece em dezembro.

Cerca de 30 moradores abordaram, primeiro, a equipe de comunicação do candidato, ordenando que os funcionários deixassem o bairro de Lo Espejo, um dos mais pobres da região metropolitana da capital chilena. Kast, por sua vez, conseguiu entrar, dentro de uma grande caminhonete e entre protestos dos moradores, na casa de uma mulher com problemas de saúde, com quem havia planejado falar sobre as deficiências na saúde pública chilena.

"Assassino, nazista e fascista", gritou uma moradora ao candidato do Partido Republicano, que venceu no domingo (21) o primeiro turno das eleições presidenciais, com 27,9%, e terá como adversário em 19 de dezembro o esquerdista Gabriel Boric, que obteve 25,8%.

Após alguns minutos, Kast deixou a casa escoltado por forças especiais da polícia, enquanto os moradores lançavam ovos, garrafas e pedras contra o seu veículo. Apesar da hostilidade, o candidato de extrema-direita saiu ileso do incidente.

Boric, por sua vez, lamentou o ocorrido e afirmou durante um ato de campanha que "não podemos dar argumentos" para que Kast se vitimize, e que "também não podemos cair em provocações".

Os candidatos, que ocupam posições antagônicas no especto político, foram os mais votados no domingo e agora disputam o segundo turno que definirá o sucessor do conservador Sebastián Piñera. Desde a definição do pleito, os dois têm tentado moderar suas posições e buscar apoio de outros adversários.

Kast, por exemplo, é contrário a uma lei de aborto e ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Também prometeu construir uma cerca na fronteira para evitar a entrada de imigrantes irregulares e propõe benefícios sociais maiores às mulheres casadas.

Boric, da aliança esquerdista Apruebo Dignidad, que reúne a coalizão Frente Ampla e o Partido Comunista, propõe a instauração de um Estado de bem-estar com maior força e presença no âmbito social.

pa/llu/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos