Moradores de Itaguaí (RJ) denunciam prefeitura por desvio de cobertores de abrigo

·2 minuto de leitura
Fachada da Prefeitura de Itaguaí (RJ). Foto: Divulgação.
Fachada da Prefeitura de Itaguaí (RJ). Foto: Divulgação.
  • Colchonetes, fraldas, edredons e lençóis teriam sido desviados para doação em nome da Prefeitura;

  • Moradores do abrigo tentam dividir os pertences para não passar frio;

  • Funcionários ameaçam separar mães e filhos, relata um dos moradores.

Moradores de abrigo no município de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, denunciaram roubo de cobertores e outros objetos doados para abrigo na cidade. No CIEP 496, conhecido como 'Brizolão', adultos, crianças e idosos receberam doações da Petrobrás, e relataram que viram funcionários do local distribuindo parte dos itens - colchonetes, fraldas, edredons e lençóis - em nome da Prefeitura da cidade. Há uma ordem de despejo para que deixe o local até sexta-feira (6).

Um morador, que preferiu não se identificar por medo de represálias, contou que assistentes sociais ameaçaram mães para saírem do abrigo e procurar outro local para dormir. Caso contrário, chamariam autoridades que as 'separariam de seus filhos'. 

Leia também:

Cláudia*, que tem 6 filhos, relatou total desespero diante do prazo. "Colocaram a gente aqui, disseram que iam ajudar, e agora falam pra sair na sexta-feira. Não tenho pra onde ir, uma das minhas filhas está doente aqui dentro. Ainda ficam ameaçando, dizendo que o Conselho Tutelar vai pegar minha criança. Vivo com medo de perder meus filhos", contou a jovem.

João* conta que, há cerca de 2 meses, quando foi morar no Brizolão, convivia com uma média de 900 pessoas. Hoje, o espaço comporta apenas 300, pois muitas são mandadas embora. "Se a pessoa consegue fazer um 'bico' de dia, por exemplo, tem até um certo horário pra voltar pro abrigo. Se não chegar, eles não deixam mais entrar, e as pessoas tem que ficar na calçada, tentando entrar. E não conseguem mais, nem no dia seguinte", relatou. 

No vídeo abaixo, moradores reclamam de estarem sem refeição e aguardam para entrar no abrigo.

Na última semana, o estado do Rio de Janeiro registrou temperatura de 11°C, tendo um dos invernos mais 'gelados' desde 2012. 

Prefeitura não fala sobre máscaras nem vacina

Segundo relatos, as pessoas no abrigo só receberam máscara de proteção uma única vez. "Deram pra gente faz mais de mês, uma descartável. Depois não deram mais". Também não há qualquer orientação sobre vacina contra a covid-19 nem regras de distanciamento e protocolos de higiene no local.

Por assessoria, a Prefeitura afirmou que "está intimada pela justiça a fazer a contagem de todos que estão no CIEP. Os abrigados podem sair para trabalhar, passear etc e voltar, não são barrados, só àqueles que ficam mais de 72 horas fora do CIEP. A prefeitura está empenhada em ajudar e procurar soluções para as pessoas que estão nesse momento de vulnerabilidade. Sobre o desvio de cobertores a Prefeitura de Itaguaí esclarece que a denúncia é fantasiosa e caluniosa. Não passa de uma fake news plantada com objetivo político."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos