Moradores de Havana correm para as praias após reabertura

·1 minuto de leitura

"Estava louca para que reabrissem", diz Ana Gloria Arias, enquanto desfruta de um banho de mar em Bacuranao, leste de Havana. Após quase 300 dias sem acesso às praias por conta da pandemia, os moradores de Havana correram para dar um mergulho no mar.

"A notícia na verdade foi uma grande notícia, a melhor que recebi nestes dois anos, porque podemos desfrutar da praia, do ar, do sol, da areia", comemorou Ana, 17, que foi à praia na companhia de sua mãe e do namorado. "Tinha que estudar hoje, mas adiei para amanhã, caso voltem atrás na abertura", brincou.

A reabertura das praias e piscinas foi anunciada na tarde de ontem por autoridades de Havana. Para um cubano, não poder ir à praia no verão é um suplício.

"Ela estava louca para vir e aproveitar", conta Danay Ortega, 47, funcionária de uma peixaria, apontando para a filha caçula. "Não somos nada sem praia e sem verão."

Assim que amanheceu, centenas de moradores da capital correram para as praias do leste. Segundo autoridades, a reabertura responde à queda sustentada dos casos de Covid-19 na maioria das províncias cubanas e ao avanço da campanha de vacinação no país.

As praias abriram com protocolos de segurança estritos, que incluem o distanciamento social e o uso obrigatório de máscara, exceto no mar. As medidas eram seguidas à risca hoje. "A vacina nos ajuda e nós temos que ajudá-la", resumiu Rosa Esprónceda, 38, funcionária do Ministério da Cultura.

rd/ka/dg/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos