Moradores reclamam de áudio com fake news sobre arrastão em prédio no Flamengo: 'brincadeira de mau gosto'

Marcelo Antonio Ferreira*
Notícia falsa alertava para suposto assalto em edifício residencial no Flamengo, Zona Sul do Rio

RIO — Uma mensagem de áudio que circula nas redes sociais e em aplicativos de conversa alerta para um suposto arrastão em um edifício residencial do Flamengo, na Zona Sul do Rio, que teria ocorrido na última quarta-feira. A Polícia Militar já havia desmentido a ocorrência, mas, na manhã de hoje, o áudio com conteúdo falso continuava a circular. Por isso, a equipe de reportagem do EXTRA foi até ao local.

O alvo foi o Edifício Flamengo, que fica no número 88 da Praia do Flamengo com esquina da Rua Ferreira Viana, também conhecido como Edifício Seabra. O rumor chamava atenção para a abordagem do golpe: uma equipe de assaltantes, vestidos com trajes da prefeitura, alegam realizar uma fiscalização para conferir se moradores do prédio contraíram o coronavírus, como desculpa para saquear todos os apartamentos. 

Erguida em 1931, a construção conta com 12 andares e 38 apartamentos, e é um bem tombado pelo Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro. Uma moradora, que preferiu não ser identificada, mas reside no local há mais de 20 anos e já foi até síndica, negou a informação prontamente.  

— Aqui não aconteceu nada. Não sabemos a origem, nem a motivação (da notícia falsa). Ninguém sabe se, talvez, tenha sido uma brincadeira de algum morador daqui mesmo — relatou a senhora.

O porteiro que trabalhava no dia em que teria ocorrido o assalto também negou. A moradora ainda alertou para o risco da notícia falsa expor os moradores, tendo em vista a pandemia do coronavírus. 

— Não sabemos a motivação, mas é uma coisa preocupante. Até a polícia esteve aqui. Não tem teste para todo mundo, imagina se a prefeitura viria realizar nos moradores. É uma coisa esquisita. Brincadeira de mau gosto. E não mora ninguém no prédio com o nome mencionado no áudio.

Procurada, a polícia negou mais uma vez o crime. De acordo com um oficial da 9ª DP (Catete), tudo não passa de uma fake news. 

Reportagem feita sob orientação de Luciano Garrido*