Moradores reclamam por falta de projetos sociais em Paraisópolis após nove mortes

Guilherme Caetano
Moradores de Paraisópolis protestaram ontem (quarta-feira, dia 4) ao redor do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista

Passados cem dias da ação policial que deixou nove mortos em um baile funk em Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, moradores e líderes comunitários reclamam de demora na entrega de melhorias prometidas para a região. Em dezembro, representantes da prefeitura e do governo de São Paulo se comprometeram a tirar da gaveta medidas e projetos que demandariam investimentos na ordem de R$ 250 milhões.

Logo após a tragédia, 31 policiais militares foram afastados. Relatório da Corregedoria da polícia concluiu que as mortes decorreram da ação, mas diz que eles agiram em legítima defesa. Por isso, a Corregedoria pede que os PMs não sejam punidos.

(Confira a íntegra da reportagem exclusiva para assinantes)