Moraes concede prisão domiciliar a Zé Trovão com uso de tornozeleira

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 23.10.2019 - O ministro do STF Alexandre de Moraes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 23.10.2019 - O ministro do STF Alexandre de Moraes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF, E SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes concedeu, nesta sexta-feira (18), prisão domiciliar ao militante bolsonarista Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão.

Ele está preso desde 26 de outubro, após ter passado dois meses foragido. Moraes atendeu ao pedido da defesa de Zé Trovão, ao qual a PGR (Procuradoria-Geral da República) não se opôs por ele ter se apresentado voluntariamente à PF, e converteu a prisão preventiva em prisão domiciliar.

O caminhoneiro usará tornozeleira eletrônica e está impedido de usar redes sociais e se comunicar com os demais investigados. Ele também só poderá dar entrevistas com prévia autorização judicial.

"Apesar da gravidade das condutas do requerente, em razão do lapso temporal decorrido do feriado nacional de 7/09/2021 e a presente data, não estão mais presentes, em relação a Marcos Antônio Pereira Gomes os requisitos fáticos necessários à manutenção da prisão preventiva", escreveu o ministro.

Zé Trovão é investigado no âmbito do inquérito que apura a organização de atos antidemocráticos. O militante ficou famoso por vídeos em que proferiu ofensas aos ministros da Corte e incentivou a população a participar dos atos golpistas do 7 de setembro.

A prisão de Zé Trovão foi decretada no dia 3 de setembro pelo ministro Alexandre de Moraes, a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República).

Deputados bolsonaristas, como Carla Zambelli (PSL-SP), entraram com pedido de habeas corpus ao caminhoneiro, que foi rejeitado. Ele então ficou foragido no exterior até o dia 26 de outubro, quando se entregou à Polícia Federal em Joinville, em Santa Catarina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos