Moraes decide não proibir camisa da Seleção no dia da eleição

Moraes decide não proibir camisa da Seleção no dia da eleição. Getty Images.
Moraes decide não proibir camisa da Seleção no dia da eleição. Getty Images.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, decidiu que não vai proibir mesários de usarem camisa da seleção brasileira no dia 2 de outubro. A proposta, dada por centrais sindicais, pedia que quem fosse trabalhar nas eleições fosse impedido de vestir o traje verde e amarelo. As informações são do colunista Guilherme Amado, do Metrópoles.

O pedido foi feito a partir de um movimento de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) que buscavam trabalhar como mesários nas eleições para trajar a camisa da Seleção - em apoio ao presidente. Moraes, no entanto, disse que não crê na força do movimento e que os mesários tem responsabilidades a cumprir no dia do pleito.

O tema entrou em debate, nesta segunda-feira (26), durante a reunião da comissão de transparência eleitoral, grupo criado para aumentar a fiscalização do processo de votação. A proposta foi defendida pela Coalizão em Defesa do Sistema Eleitoral, que reúne mais de 200 entidades e movimentos da sociedade civil.

A Coalizão argumentou é de que a camisa foi “apropriada” pelos apoiadores do presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), tornando-se um símbolo da campanha dele. Seu uso, portanto, poderia confundir os eleitores no dia da votação, marcada para o próximo domingo, 2 de outubro.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.