Moraes determina prisão de Allan dos Santos e inclui bolsonarista na lista da Interpol

·2 min de leitura
Allan dos Santos, journalist and supporter of Brazil's President Jair Bolsonaro, is seen next to a Federal Police Agent during a fake news investigation in his home, amid the coronavirus disease (COVID-19) outbreak, in Brasilia, Brazil May 27 2020. REUTERS/Adriano Machado
Allan dos Santos está nos Estados Unidos; Moraes pediu para que blogueiro bolsonarista seja extraditado (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Alexandre de Moraes determinou a prisão do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos

  • Decisão foi tomada após um pedido da Polícia Federal

  • Moraes ainda pediu que Allan dos Santos seja extraditado dos Estados Unidos e que nome do blogueiro figure na lista da Interpol

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão preventiva de Allan dos Santos, blogueiro bolsonarista investigado por disseminar notícias falsas e organizar atos antidemocráticos. 

A decisão de Moraes acontece após um pedido feito pela Polícia Federal. A Procuradoria-Geral da República teria se manifestado contrária à prisão.

Responsável pelo canal “Terça Livre”, ele está nos Estados Unidos e, por isso, Moraes também pediu ao Ministério da Justiça que dê início de forma imediata ao processo de extradição de Allan dos Santos. De acordo com a TV Globo, o visto do blogueiro está vencido.

O pedido do ministro ainda tem outro fator: o mandado de prisão contra Allan dos Santos deverá ser incluído na lista da Difusão Vermelha da Interpol. Essa seria uma maneira de garantir que o blogueiro bolsonarista seja preso e retorne ao Brasil. A embaixada dos Estados Unidos também foi acionada. 

Investigado em dois inquéritos

Allan dos Santos é investigado em dois inquéritos nos Supremo Tribunal Federal:

  • Divulgação de notícias falsas e ataques a ministros do STF

  • Atuação de milícia digital que ataca a democracia e as instituições

Alvo de operações, Allan dos Santos teria deixado o Brasil em junho e entrou nos Estados Unidos com um visto de, mas o documento estava vencido desde fevereiro.

A Polícia Federal justificou ao STF que Allan dos Santos assumiu a posições de organizados de um movimento que ataca a Constituição, os Poderes de Estado e também a democracia. A suspeita é de que as ações sejam financiadas com recursos públicas, a partir das relações de Allan dos Santos com a família do presidente Jair Bolsonaro e com parlamentar bolsonaristas.

A investigação da PF também considera que, mesmo fora do Brasil, Allan dos Santos continuou com a conduta criminosa. Por isso, a prisão é necessária, com o objetivo de garantir a manutenção da ordem e dar prosseguimento às investigações.

Segundo a decisão de Moraes, a Polícia Federal argumenta que “pelo modo de agir descrito, pela frequência de execução e repetição dos argumentos incidiriam em tipos penais caracterizados como ameaça, crimes contra a honra e incitação à prática de crimes, bem como o tipo penal decorrente de integrar organização criminosa, convergente com o contexto da apuração já em curso neste inquérito”.

Alexandre de Moraes determinou que todas as contas do blogueiros nas redes sociais sejam bloqueadas, assim como as contas bancárias de Allan dos Santos. Recentemente, os canais dele no Instagram, no Twitter e no YouTube foram apagadas.

Indiciado pela CPI da Covid

Allan dos Santos também está na lista de indiciados no relatório final da CPI da Covid, elaborado pelo Senador Renan Calheiros (MDB-AL). Ele é acusado de incitação ao crime 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos