Moraes exige da PRF informações sobre efetivo usado na eleição

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, cobra que a PRF informe o efetivo policial usado nos dois turnos das eleições. Foto: REUTERS / Adriano Machado.
O ministro Alexandre de Moraes, do STF, cobra que a PRF informe o efetivo policial usado nos dois turnos das eleições. Foto: REUTERS / Adriano Machado.

Resumo da notícia:

  • O ministro Alexandre de Moraes, do STF, cobra da PRF informações sobre efetivos policiais usados na eleição;

  • A nova decisão é mais ampla, e abarca as atividades envolvendo os dois turnos do pleito;

  • A PRF informou que não há mais pontos de bloqueios em estradas e rodovias.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), exigiu no último sábado (5) que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informe o efetivo mobilizado para o primeiro turno das eleições deste ano.

O despacho publicado no sábado solicita o detalhamento por região e estado, e determina o prazo de 48 horas para a resposta.

“As informações requisitadas deverão ser discriminadas por Região e Estado – inclusive quanto aos eventuais recrutamentos e lotações de origem dos policiais – realizados para cada um dos turnos das eleições de 2022", diz o texto.

Na última sexta-feira (4), Moraes já havia determinado que a PRF informasse o efetivo policial mobilizado entre 28 de outubro e 4 de novembro. A nova decisão é mais ampla, e abarca as atividades envolvendo os dois turnos do pleito.

De acordo com o UOL, na última segunda (31), a Polícia Rodoviária Federal cortou em mais de um terço a quantidade de agentes em atividade, em comparação ao dia anterior, quando ocorreu a votação.

Dados apontam que no dia 30 de outubro, o efetivo foi de 3.664 agentes por todo o Brasil. Já no dia 31, quando mais de 200 trechos de rodovias estavam bloqueados por bolsonaristas, o número de policiais atuando eram de 2.310, ou seja, uma redução de 36,95%.

O ministro também exige que a PRF apresente “todas as informações disponíveis sobre a identificação de líderes, em especial a identificação dos proprietários dos veículos utilizados” nos bloqueios.

A corporação comunicou na manhã deste domingo (6) que não há mais pontos de bloqueios em estradas e rodovias. Contudo, há pelo menos menos duas interdições de manifestações nos estados de Matogrosso e Pará.