Moraes se reúne com comandantes das PMs e discute ampliar parceria com TSE nas próximas eleições

Comandantes das polícias militares de 24 estados e do Distrito Federal se reuniram nesta quarta-feira com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes. No encontro, debateram a ampliação da parceria entre a Justiça Eleitoral e órgãos de segurança pública realizada durante as eleições deste ano para as próximas disputas eleitorais.

Veja também: Governo de transição discute medidas para enfrentar atos antidemocráticos a partir de janeiro

Entenda: Mourão diz que protestos são 'catarse coletiva' e que Bolsonaro 'deveria' entregar faixa presidencial

O encontro, marcado desde a semana passada, ocorre em meio a bloqueios realizados por manifestantes que não aceitam a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições.

Na conversa, o ministro fez um balanço dos trabalhos das polícias durante as eleições, e agradeceu ao trabalho das forças na contenção dos bloqueios nas rodovias e nos protestos feitos por militantes bolsonaristas. Uma decisão de Moraes logo após as eleições reforçou a autorização para que a PM atuasse, uma vez que a Polícia Rodoviária Federal, responsável por fiscalizar as estradas federais, vinha sendo acusada de leniência com os manifestantes.

Juiz de carreira e ex-advogado: Quem são os novos ministros do STJ

Leia: Comissão da Câmara convoca general Heleno para explicar atuação da Abin no caso Jair Renan

Comandantes das polícias militares de três estados não participaram da reunião: o coronel Hudson Leôncio Teixeira, do Paraná; coronel Marcelo Pontes, de Santa Catarina; e o coronel Alarico José Pessoa Azevedo Júnior, do Rio Grande do Norte.

Durante o encontro, chefes das polícias estaduais elogiaram uma resolução do TSE que restringiu o transporte de armas por CACs, sigla que significa caçadores, atiradores e colecionadores. A medida teve como justificativa o aumento de episódios de violência política, com a morte de apoiadores dos dois candidatos à Presidência após discussões por motivação eleitoral.

Entre os aspectos para a ampliação da parceria com o TSE, os comandantes das polícias sugeriram uma previsão orçamentária para auxílio às polícias militares durante as eleições e a fiscalização da não utilização de telefones celulares por detectores de metais. Também foi sugerido a presença de um coronel da PM nos núcleos de inteligência dos Tribunais Regionais Eleitorais e a possibilidade da mudança de local de votação que sejam considerados críticos.

Moraes também sinalizou aos comandantes que todos serão agraciados com a ordem do mérito do TSE, a medalha Assis Brasil.

Após a fala de Moraes em agradecimento à atuação da PM, cada comandante fez um relato do trabalho desenvolvido durante o pleito.

Esta é a terceira reunião de Moraes com os chefes das polícias militares desde que assumiu a presidência do TSE. Antes, os comandantes estiveram na Corte em agosto e no dia 11 de outubro, logo após o primeiro turno das eleições.