Moraes se reune com Defesa para aliviar tensão entre TSE e Bolsonaro

Alexandre de Moraes foi empossado como presidente do TSE esta semana. (Foto: Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)
Alexandre de Moraes foi empossado como presidente do TSE esta semana. (Foto: Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)
  • Audiência acontece na próxima terça-feira

  • Encontro foi requisitado pelo ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira

  • Alexandre de Moraes fez discurso firme em defesa do Sistema Eleitoral em cerimônia

O ministro Paulo Sérgio Nogueira, da Defesa, irá se encontrar com o ministro Alexandre de Moraes, recém empossado como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na próxima terça-feira (23). A audiência servirá para acalmar os ânimos entre o governo e a Corte.

Os ministros Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski tomaram posse como presidente e vice-presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), respectivamente, nesta terça-feira (16). Em seu discurso de posse, Moraes afirmou que será "célere, firme e implacável" para coibir práticas abusivas ou divulgações de notícias falsas ou fraudulentas.

O ministro é responsável pela abertura de inquéritos como o das fake news, que mira o mandatário e seus aliados políticos, sobre atos antidemocráticos e sobre a declaração de Bolsonaro relacionando a vacina contra a covid-19 à Aids.

Além disso, durante a cerimônia, o novo presidente do TSE defendeu as urnas eletrônicas, que ele chamou de “orgulho nacional”, e exaltou o sistema eleitoral brasileiro. Ele foi aplaudido por todos os presentes, menos por Bolsonaro e seus ministros.

Essa não é a primeira vez que o ministro da Defesa tenta diálogo com o TSE. Ele chegou a pedir uma audiência com o presidente anterior, o ministro Edson Fachin, que não ocorreu por conta dos ataques de Bolsonaro às urnas na época. Paulo Sérgio Nogueira também enviou diversos ofícios, que foram considerados provocativos.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Agora, a expectativa é que o encontro melhore o clima entre Executivo e TSE antes do dia 7 de Setembro, quando haverá um desfile em Brasília, no qual Bolsonaro irá discursar. O presidente promete um tom mais ameno, já que, segundo ele próprio, “exagerou” no ano passado ao criticar a Justiça Eleitoral.