Moraes, do STF, abre inquérito por organização criminosa contra bolsonaristas

·1 minuto de leitura
Manifestante com bandeira que defende intervenção no STF e no Congresso durante ato em Brasília

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito para investigar a existência de uma organização criminosa com atuação digital que tinha como objetivo atentar contra a democracia formada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

A providência foi adotada por Moraes no âmbito do chamado inquérito dos atos antidemocráticos.

"A análise dos fortes indícios e significativas provas apresentadas pela investigação realizada pela Polícia Federal aponta a existência de uma verdadeira organização criminosa, de forte atuação digital e com núcleos de produção, publicação, financiamento e político absolutamente semelhantes àqueles identificados no Inquérito 4781, com a nítida finalidade de atentar contra a Democracia e o Estado de Direito", disse Moraes, na decisão.

No caso do inquérito dos atos antidemocráticos, Moraes acolheu parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinou o arquivamento dessa investigação.

A apuração, que foi aberta em abril do ano passado, tinha por objetivo apurar a realização e o financiamento de atos públicos com o objetivo de atentar contra instituições como o Supremo e o Congresso Nacional, iniciativa que contraria é crime e contraria a Constituição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos