Moraes, do STF, rejeita pedido da PGR para deixar relatoria de investigação que mira Ricardo Salles

·1 minuto de leitura
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 21.01.2020 - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em entrevista sobre a criação do Conselho da Amazônia, em Brasília. (Foto: André Coelho/Folhapress)
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 21.01.2020 - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em entrevista sobre a criação do Conselho da Amazônia, em Brasília. (Foto: André Coelho/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) para deixar a relatoria da investigação sobre o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Em pedido assinado pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, a PGR defendeu nesta terça-feira (25) que os autos do caso fossem enviados para a ministra Cármen Lúcia, relatora de outros procedimentos na corte que envolvem Salles.

Ao negar o pedido, também nesta terça, Moraes o classificou de "suis generis". "Não há qualquer dúvida sobre a competência desse relator para prosseguir na relatoria", afirmou o ministro.

A pedido de PF, Moraes autorizou a Operação Akuanduba, deflagrada na semana passada, tendo Salles e outros servidores do Meio Ambiente como alvos.

A investigação mira esquema de facilitação de contrabando de madeira.