Moro é flagrado tirando foto de Lula em debate da Globo e imagem repercute nas redes: 'amor de fã'

O senador eleito Sergio Moro (União Brasil), ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro (PL), foi flagrado fotografando o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no estúdio da Globo, durante o debate desta sexta-feira (28). A cena registrada repercutiu e se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

Pesquisa qualitativa: confira o desempenho de Lula e Bolsonaro no debate da TV Globo, bloco a bloco

Lula x Bolsonaro: De aborto a Viagra, os nove destaques do último debate entre os presidenciáveis

No Twitter, os internautas fizeram piadas sobre o ocorrido. "Moro tietando o Lula, amor de fã", afirmou um. "O Moro tem uma tara inexplicável pelo Lula. @SF_Moro essa foto vai virar plano de fundo do seu celular?", questionou outro. "Moro, trate sua obsessão por Luiz Inácio. Terapia faz muito bem. Ah, sobre a foto, eu te entendo muito. Lula estava gatíssimo e eu também não perderia a chance de fotografá-lo", disse um terceiro.

Apesar das especulações feitas pelos usuários, o ex-juiz federal usou a foto tirada para fazer uma publicação com duras críticas ao ex-presidente. "Um Lula radical no palco chamou Michel Temer de golpista e a mim de mentiroso. Pelo jeito, já era a fase do 'pacificador democrata'. Até a gravata verde-amarela foi abandonada e agora voltou a ser vermelha", escreveu Moro na publicação.

Assim como no debate da Band, Moro foi um dos assessores convidados por Bolsonaro para ficar no estúdio de gravação. O senador eleito do Paraná, se reaproximou do presidente após ter deixado o governo em 2020.

O que eles já disseram: Relembre as trocas de acusações entre Bolsonaro e Moro

Desde que saiu brigado com o antigo chefe, Moro vinha adotando oposição ao presidente. No ano passado, ele criticou Bolsonaro por "ter abandonado o discurso de campanha em 2018", passado a defender o fim da prisão em segunda instância e ter dificultado o combate à corrupção. Em janeiro deste ano, o ex-juiz acusou o presidente de ter orquestrado ataques contra ele nas redes sociais e o chamou de “covarde” por supostamente ter mandado “um produtor de fake news do outro lado do mundo preparar um vídeo cheio de mentiras e teorias da conspiração”.