Moro espalha vídeo de campanha de Bolsonaro com ataques a Lula

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 15.03.2022 - O candidato ao Senado e ex-juiz Sergio Moro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 15.03.2022 - O candidato ao Senado e ex-juiz Sergio Moro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

FOLHAPRESS - O candidato ao Senado e ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) publicou em suas redes sociais, nesta sexta-feira (16), uma propaganda eleitoral exibida na televisão pela campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) com ataques a Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a mensagem de que o ex-presidente não foi inocentado pela Justiça no âmbito da Operação Lava Jato.

No vídeo, uma mulher promete dizer a "verdade sobre Lula" e usa o exemplo de um assalto para explicar uma das anulações da condenação do petista no STF (Supremo Tribunal Federal). A corte decidiu que a vara de Curitiba não deveria ter julgado o caso do ex-presidente.

Ilustrações mostram que o bandido é preso, mas acaba solto depois de um advogado alegar que o crime não é federal e, portanto, o ladrão "deveria estar em outra delegacia".

"O roubo existiu, só que o ladrão será julgado em outro lugar. Foi isso que aconteceu com Lula", diz a locutora. O vídeo publicado por Moro foi exibido pela campanha de Bolsonaro no bloco fixo do horário eleitoral da TV desta quinta (15).

A peça exibe ainda trechos de delações do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e do ex-executivo Marcelo Odebrecht com supostos esquemas de favorecimento a Lula, além de depoimentos de eleitores com críticas ao candidato do PT.

"Nosso trabalho na Lava Jato foi reconhecido em todo mundo. Bolsonaro mostra pro Brasil o que tenho falado aqui: Lula não foi inocentado nem absolvido. Suas mãos estão sujas. Por isso quero ser Senador pelo Paraná. Não vamos permitir a volta do sistema da corrupção e do PT", escreveu Moro na legenda que acompanha o vídeo. Ao final, aparecem o nome, número e slogan do presidente candidato à reeleição.

A publicação indica uma reaproximação de Moro com Bolsonaro, de quem o ex-juiz se afastou ao deixar o cargo de ministro da Justiça em 2020.

Em março, Moro retirou pré-candidatura à Presidência e agora disputa uma vaga no Senado pelo Paraná, seu estado natal. (Renan Marra)