PF prende 4 suspeitos de invadir celular do ministro Sergio Moro

As ações foram executadas em São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

A PF (Polícia Federal) prendeu 4 pessoas, nesta terça-feira (23), suspeitas de envolvimento na invasão hacker ao celular do ministro da Justiça, Sergio Moro. Além dos mandados de prisão temporária, os agentes cumpriram sete ordens de busca e apreensão.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

As prisões e buscas atingem, segundo a PF, os próprios hackers em si e pessoas que teriam atuado em conjunto com eles.

Leia também

Os mandados, assinados pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília, foram executados em São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto.

A operação policial foi batizada de ‘Spoofing', nome dado a um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é.

Leia a íntegra de nota divulgada pela Polícia Federal:

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (23/07), a Operação spoofing com o objetivo de desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos.

Foram cumpridas onze ordens judiciais, sendo sete Mandados de Busca e Apreensão e quatro Mandados de Prisão Temporária, nas cidades de São Paulo/SP, Araraquara/SP e Ribeirão Preto/SP.

As investigações seguem para que sejam apuradas todas as circunstâncias dos crimes praticados.

As informações se restringem às divulgadas na presente nota.

Spoofing é um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é.

Comunicação Social da PF