Moro manda PF investigar filme em que filha do 'ministro Sério Mauro' é sequestrada

Brazil's Justice Minister Sergio Moro testifies before a House Commission, in Brasilia, Brazil, Tuesday, July 2, 2019. Press reports have accused him of allegedly coordinating with prosecutors, improperly advising them in a case against former President Luiz Inácio Lula da Silva. Moro and prosecutors deny any wrongdoing, but the Brazilian Bar Association has called for the suspension of the minister and others pending an inquiry. (AP Photo/Eraldo Peres)
Moro pediu que a PF abra um inquérito por ameaça e apologia ao crime. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Moro pediu a abertura de inquérito por ameaça e apologia ao crime

  • Vídeo já foi retirado do ar e diretor disse estar “apavorado”

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, solicitou à Polícia Federal a abertura de um inquérito para investigar um filme postado no YouTube.

No curta-metragem, um casal sequestra uma garota identificada como "filha do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sério Mauro”, e para libertá-la, exigem a libertação do ex-presidente "Luiz Jararaca da Silva".

Leia também

Os responsáveis pelo vídeo serão investigados por ameaça e apologia ao crime. O filme, chamado “Operação Lula Livre”, tem 15 minutos de duração e já não está mais disponível no YouTube.

À revista Veja, o diretor Alexandre Barata Lydia disse estar “apavorado” com a repercussão. Ele conta que postou o vídeo há duas semanas, mas ele só viralizou na última quarta-feira (4), quando chegou a 100 mil visualizações.

“Não esperava essa reação. Achei melhor tirar o filme já que ele criou tantos celeumas e aborrecimentos. Pensei que seria algo localizado, mas até um jornalista da Noruega já me ligou”, contou.

Na obra, o casal e a filha do ministro estão em um cativeiro, em frente a uma bandeira com uma imagem de Lula. Eles resolvem libertá-la após ouvirem um apelo do ex-presidente. Antes, escrevem na testa dela a frase “Lula Livre”, usada também fora da ficção pelos que pedem a libertação do ex-presidente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos