Moro vira alvo do clã Bolsonaro após candidatura: 'anticristão e traidor'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Sergio Moro
    Jurista brasileiro, ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil
Brazil's President Jair Bolsonaro and Brazil's Justice Minister Sergio Moro attend a launch ceremony of the government anti-crime project at the Planalto Palace in Brasilia, Brazil October 3, 2019. REUTERS/Adriano Machado
O ex-ministro da justiça de Bolsonaro agora é o novo alvo dos ataques promovidos pelos filhos do presidente. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O crescimento do ex-aliado do governo, Sergio Moro (Podemos), nas pesquisas do Ipec tem incomodado os bastidores do clã Bolsonaro na corrida eleitoral pela Presidência da República em 2022. 

A “chapa lavajatista” é liderada por Moro e conta com o apoio do ex-procurador, Deltan Dallagnol - ambos abandonaram as carreiras para migrarem para a política e apoiar o então candidato Jair Bolsonaro em 2018. 

Dallagnol também deve disputar uma cadeira no congresso nacional levando a Lava Jato para as urnas em 2022. Eles foram personagens principais da operação que prometia acabar com a corrupção no país.

O ex-ministro da justiça de Bolsonaro agora é o novo alvo dos filhos do presidente, Carlos (vereador do Rio pelo Republicanos), Eduardo (deputado federal pelo PSL-SP) e Flávio (senador pelo PL-RJ). Nas redes sociais, eles reforçam o perfil de “traidor”, “anticristão” e “ ingrato” de Moro.

Leia também

O canal de mensagens em uma rede social de Carlos, o filho “02”, já começou a publicar em outubro deste ano, críticas a Moro. O vereador exerce influência no chamado “gabinete do ódio” na bolha bolsonarista. Ele passou a compartilhar vídeos de youtubers bolsonaristas que associam Lula e Moro e falariam a “verdade”.

Também para “01”(o filho mais velho), Flávio, Moro é um “traidor e anticristão”, em novembro ele compartilhou (também no seu canal de mensagens) supostos relatos de apoiadores do ex - ministro e suposto plágio no slogan de campanha que trocaria “Deus acima de tudo” por “as pessoas acima de tudo”.

Moro destaca no Sul e 'rivaliza' com Bolsonaro

Segundo o Ipec, Moro se destaca entre os eleitores residentes da região Sul (11%), mas que outros candidatos têm intenções de votos distribuídas de maneira homogênea. Nesse mesmo levantamento a reprovação do governo Bolsonaro alcançou 55% variando entre a margem de erro da pesquisa anterior.

A pesquisa do Ipec foi feita entre os dias 9 e 13 de dezembro e ouviu 2.002 pessoas em 144 municípios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos