Morre adolescente baleada em ataque a comemoração da vitória de Lula em BH

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Morreu nesta quinta-feira (3) uma adolescente de 12 anos que foi baleada em Belo Horizonte horas após a divulgação do resultado do segundo turno das eleições presidenciais, no domingo (30). Luana Rafaela Oliveira Barcelos será enterrada nesta sexta (4), no bairro Vila Imperial, na capital mineira.

A menina estava internada no Hospital João 23. A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou a morte.

No domingo, Luana estava com um grupo de pessoas que comemorava a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no bairro Nova Cintra, região oeste da cidade. Ao todo, quatro pessoas foram baleadas. Pedro Henrique Dias Soares, 28, chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. A missa de sétimo dia do rapaz está marcada para esta sexta.

O suspeito de ser o autor do ataque é Ruan Nilton da Luz. Ele está preso desde segunda (31).

Em depoimento à polícia, ele disse que passou o dia da eleição bebendo e, em dado momento, ficou desorientado, pegou armas e saiu caminhando pelo bairro, disparando contra pessoas que comemoravam a vitória do petista.

A defesa de Ruan da Luz, no entanto, alegou que ele estava em surto psicótico e que o crime não tem cunho político.

Em nota, a Polícia Civil informou que a motivação do crime está sendo apurada e que nenhuma linha de investigação foi descartada.

Na casa do suspeito, a polícia apreendeu uma pistola calibre 9 mm e outra calibre 380, além de cartuchos de munição e uma faca.

Ele contou à polícia ter registro de CAC (caçador, atirador e colecionador). O porte de armas para esse grupo, no entanto, estava proibido por norma do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no dia da votação, assim como na véspera e nas 24 horas seguintes à eleição.

A Polícia Civil informou que, com a morte da adolescente, o suspeito passa a ser investigado por duplo homicídio consumado e tentativa de homicídio. Os tiros também atingiram duas mulheres, de 40 e 47 anos, que foram encaminhadas para a UPA Oeste. Não há informações sobre o estado de saúde delas.