Morre aos 64 a jornalista Cristiana Lôbo, da GloboNews

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A jornalista Cristiana Lôbo, da GloboNews, morreu nesta quinta-feira (11), em São Paulo, aos 64 anos.

A informação foi divulgada pela emissora, que interrompeu a programação para homenageá-la. A causa da morte foi um tipo de câncer chamado mieloma múltiplo, que a jornalista vinha tratando há alguns anos.

O mieloma múltiplo é um câncer nas células da medula óssea responsáveis pela produção dos anticorpos que combatem vírus e bactérias. No último final de semana, Cristiana Lôbo foi internada no hospital Albert Einstein, em São Paulo, com pneumonia.

Miriam Leitão se emocionou relembrando a colega: "Sempre foi boa entrevistando, levantando bastidores. Como colega, mostrou uma força. Nosso sentimento é muito forte até para falar. Queria passar aos familiares da Cris, nosso abraço e nosso carinho enorme. Foi uma grande jornalista e uma grande colega".

Cristiana Lôbo estava afastada da GloboNews desde o ano passado. À reportagem, a emissora afirmou em junho que ela estava de licença médica, mas não informou mais detalhes sobre o estado de saúde da jornalista.

Trajetória

Nascida em Goiânia, Cristiana Lôbo começou a carreira do jornalismo escrevendo para jornais locais. Já escrevia para a editoria de política quando passou a trabalhar para O Globo, em Brasília, em 1979.

Especializou-se na cobertura política como repórter setorista de diferentes pastas, como do Ministério da Saúde e do Ministério do Esporte. Em 1984, Lôbo cobriu as eleições diretas no país. O ritmo de trabalho, em uma época com menos facilidades tecnológicas, era intenso, como ela contou ao site Memória Globo.

"Naquele tempo, não existia celular, nem internet, a única coisa que havia era um telefone que você apertava e a redação ouvia. Eles pediam 15 linhas, e a gente tinha de fazer o retrato daquele momento", disse.

Em O Globo trabalhou na coluna Panorama Político e na Coluna do Swann. Também teve uma coluna no Estado de S. Paulo ao final dos anos noventa, mas foi na televisão que os seus comentários sobre o panorama político ganharam ainda mais projeção.

Trabalho na televisão

A estreia de Cristiana Lôbo na TV foi na GloboNews no programa "Fatos e Versões", em 1997. No canal de notícias por assinatura, cobriu as eleições de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República, em 2010 e 2011. Atuou também na transição de governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O trabalho incansável não diminuía o entusiasmo.

"Teve um dia em que fiquei no ar de manhã até a noite, porque a gente ia descobrindo quem é que saía e quem entrava. Era o paraíso para nós: notícia o dia inteiro. Para mim, melhor do que isso, só os filhos!", afirmou para o Memória Globo.

Além da GloboNews, Lôbo também analisou a polícia brasileira na TV Globo em programas como "Hora Um". Ela mantinha um blog no G1, portal de notícias do Grupo Globo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos