Morre aos 82 anos o rei Constantino, da Grécia

O ex-monarca da Grécia Constantino II, no poder antes do restabelecimento da República, em 1974, morreu nesta terça-feira (10), em Atenas, aos 82 anos, anunciou a rede pública grega ERT.

O ex-soberano, primo do rei Charles III, do Reino Unido, e padrinho do príncipe William, "morreu (...) de derrame cerebral", anunciou a ERT.

Segundo meios de comunicação gregos, ele tinha sido hospitalizado em Atenas na semana passada com problemas respiratórios.

Descendente da família real de Gluecksburg, Constantino era irmão de Sofia, mãe do rei Felipe VI, da Espanha.

A monarquia foi abolida na Grécia pelo referendo de 1974 que pôs fim à dinastia dinamarquesa instaurada em 1863 pelo bisavô de Constantino II, George I.

Constantino II chegou ao trono aos 23 anos, em 1964, em um dos períodos mais conturbados da história contemporânea grega.

As crises políticas que se seguiram foram um terreno favorável ao golpe de Estado dos coronéis em abril de 1967, e ao septenato da junta que a CIA foi acusada de apoiar.

Segundo documentos diplomáticos dos Estados Unidos divulgados posteriormente, Constantino tentou impor uma lei marcial em 1967 para evitar o retorno de Georges Papandreou ou de seu filho socialista Andreas, eleito primeiro-ministro 15 anos depois.

Ele deixou, então, a Grécia e viveu por 40 anos em Londres, em uma mansão de 882 m² em Hampstead, antes de retornar ao país, em 2013.

Casado com Ana Maria, irmão de Margrethe II, rainha da Dinamarca, ele teve cinco filhos.

str-hec/yap/eg/ag/mvv;lb