Morre aos 87 anos o cantor e pianista Jerry Lee Lewis, lenda do rock

Morre aos 87 anos o cantor e pianista Jerry Lee Lewis, lenda do rock

Faleceu aos 87 anos o cantor e pianista Jerry Lee Lewis, lenda do rock conhecida por clássicos como "Great balls of fire" e "Whole lotta shakin’ goin’ on", músicas que lançou em 1957. A notícia foi confirmada pelo agente do músico e publicada pelo joanal inglês "Guardian".

O músico vinha com problemas de saúde nos últimos dias. Alguns sites chegaram a anunciar sua morte antes da hora há dois dias. Na semana passada, ele não pôde comparecer à cerimônia que o nomeou ao Hall da Fama do Country, mas agradeceu em post em suas redes.

O último grande nome ainda vivo entre os pioneiros do rock (ao lado de Elvis Presley, Chuck Berry, Fats Domino, Little Richard, Carl Perkins e Gene Vincent), Jerry era conhecido como "The Killer" ("O Matador") por seu comportamento selvagem dentro e fora dos palcos — retratado no filme "A fera do rock" (1989), dirigido por Jim McBride e estrelado por Dennis Quaid e Winona Ryder.

Nascido em Ferriday, cidade no estado da Louisiana, Jerry Lee Lewis tinha 21 anos em novembro de 1956, quando entrou no estúdio da gravadora Sun, em Memphis e, apresentando-se como um cantor country que sabia tocar piano, exigiu uma audição. A Sun havia tinha vendido seu contrato com Elvis Presley para a RCA Records um ano antes e precisava urgentemente de uma nova estrela para encabeçar uma lista de estrelas que incluía Carl Perkins, Johnny Cash e Roy Orbison.

Com "Whole lotta shakin' goin' on", lançado em abril de 1957, Jerry deu à Sun o sucesso que estava procurando. Proibida em algumas rádios por ser muito sexualmente sugestiva, a canção ganhou o país depois que ele a apresentou na TV, no "The Steve Allen Show". Daí, ela acabou vendendo cerca de seis milhões de discos, tornando-se um dos maiores sucessos do início da era do rock 'n' roll.

Em novembro de 1957, Jerry lançou pela Sun “Great balls of fire”, outro um hino sexual, composto por Otis Blackwell, autor de sucessos de Elvis Presley, como “All shook up” e “Don’t be cruel”. O cantor nunca escondeu a rivalidade que tinha com Elvis: “Há uma diferença entre um fenômeno e um esteta. Sou o esteta, Elvis era o fenômeno, e não se esqueça disso”, disse ele em 1981, à revista "Goldmine".

Com uma mão esquerda que espancava as teclas para fazer poderosas linhas de baixo, uma direita que executava melodias sinuosas e um vocal cheio de malícia, Jerry Lee Lewis escreveu seu nome na história com “Great balls of fire”.

E, no palco, criou um jogo de cena irresistível: chutava o banco do piano para o lado, começava a tocar de pé e, possuído pela “música do diabo” (como ele a chamava), se contorcia, uivava e sacudia o cabelo loiro ondulado até que ele parecesse uma peruca assustadora. Registros dão conta de que Jerry chegou a desmantelar alguns pianos no palco — e durante muito tempo correu a lenda que ele teria literalmente incendiado o instrumento, em 1958, para irritar Chuck Berry, com quem dividia a noite.

A queda, porém, o estava esperando Jerry na esquina. Ainda em 1958, quando seu terceiro hit, "Breathless", chegou ao segundo lugar das paradas, ele embarcou no que deveria ser uma turnê triunfal pela Grã-Bretanha. O que eles não esperava é que repórteres descobrissem que a jovem que viajava com ele, Myra Gale Brown, de 13 anos, era sua noiva E sua prima — e que o músico ainda era casado com sua segunda esposa quando se encaminhava para o terceiro casamento.

Perguntado se sua noiva era nova demais para casar-se, o músico disse: “Você pode se casar aos 10 anos se conseguir encontrar um marido.” A péssima repercussão do caso, nos dois lados do Atlântico, decretou o fim da carreira de Jerry Lee Lewis como astro de rock, à medida que as rádios se recusaram a tocar as suas músicas.

Condenado a se apresentar em clubes pequenos por mixarias, Jerry Lee Lewis encontrou a salvação na música country. Seu primeiro lançamento no gênero, "Another place, another time", alcançou o quarto lugar na parada country da Billboard em 1968. Sua boa fase no country seguiu anos 1970 adentro (ele conseguiu entrar nas paradas pop em 1972 com uma gravação da música de Kris Kristofferson “Me and Bobby McGee”) e só terminou no início dos 80.

Matéria em atualização.