Morre cadela Bala, que atuou em Brumadinho e foi o primeiro cão dos bombeiros do ES

Extra
·1 minuto de leitura

O primeiro cão especializado em missões de resgate e salvamento do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo morreu de causas naturais na última sexta-feira, dia 8, aos 12 anos. Chamada de Bala, a cadela da raça pastor alemão traz em sua trajetória atuações nas tragédias de Mariana e Brumadinho, que mataram centenas de pessoas após rompimento de barragens em Minas Gerais.

No Instagram, o perfil da corporação lamentou a perda da colega, que ajudava a encontrar pessoas perdidas em matas e nas buscas por vítimas em escombros, destacando que Bala "deixou um legado, saudade e respeito".

"Esse olhar, que tanto nos dizia o que fazer, hoje (8 de janeiro), descansou", afirma a postagem. "A cadela Bala, com um currículo repleto de buscas e salvamento, ajudou a tornar o CBMES uma referência nacional na atividade. Nos emprestou com amor e lealdade a habilidade de farejar a vida. E foram muitas. Seu falecimento foi por causas naturais. Dedicou toda sua existência em salvar vidas humanas".

Bala começou sua atuação no Corpo de Bombeiros em 2011, inaugurando a equipe de salvamento com cães, e se aposentou há um ano e meio por já ter ficado debilitada pela idade.

"Como ela foi a primeira, nós fomos aprendendo com ela como preparar os outros animais. Eu mesma era a figurante dela, que é a treinadora que se finge de vítima durante o adestramento", ", lembra a sargento Mariane Guarnier ao jornal local "A Gazeta", caracterizando a cadela como "dócil".

"Ela era incrível, quando tinha uma situação de resgate, parecia que ela entendia o que estava acontecendo. Já chegava no local sabendo o que fazer, só esperando o comando. Pelo o que a gente conhece do comportamento animal, ela parecia gostar do que fazia".