Morre cardeal australiano George Pell, ex-tesoureiro do Vaticano absolvido por pedofilia

O cardeal australiano George Pell, que chegou a ser tesoureiro do Vaticano antes de ser acusado e absolvido de abuso sexual em seu país, morreu em Roma aos 81 anos, indicou uma autoridade eclesiástica nesta quarta-feira (noite de terça, 10, em Brasília).

"Com profundo pesar posso confirmar que sua eminência, o cardeal George Pell, faleceu em Roma na primeira hora da manhã", disse o arcebispo australiano Anthony Fisher em comunicado enviado à AFP.

"Essas notícias foram um grande choque para todos nós", afirmou. "Por favor, rezem pelo repouso da alma do cardeal Pell, pelo consolo de sua família e de todos aqueles que o amaram e lamentam sua morte neste momento."

Antes de sua prisão na Austrália, Pell era considerado o braço direito do papa Francisco e a terceira pessoa mais importante da Igreja Católica.

Ele foi preso em 2019 depois de ser considerado culpado de abusar sexualmente de duas crianças menores de 13 anos na década de 1990.

Cumpriu 12 meses na penitenciária de Barwon, perto de Melbourne, antes que a Suprema Corte australiana o absolvesse na apelação.

Nascido em uma pequena cidade no estado de Victoria, no sul, Pell chegou mais alto na Igreja Católica do que qualquer outro australiano antes dele.

O ex-primeiro-ministro conservador do país oceânico, Tony Abbott, chegou a defini-lo como "um dos melhores clérigos que a Austrália já conheceu".

sft/djw/cwl/dbh/ll/rpr/ic