Morre de covid-19 o 'Capitão Tom', herói centenário do confinamento na Inglaterra

·2 minuto de leitura
(ARQUIVO) O capitão Tom Moore mostra o capitão Tom Moore acenando em uma passagem aérea pelos aviões do Memorial da Batalha da Inglaterra para comemorar seu 100º aniversário em Marston Moretaine

O capitão Tom Moore, um ex-veterano de guerra que aos 100 anos se tornou um herói do primeiro bloqueio na Inglaterra ao levantar mais de 30 milhões de libras para o serviço de saúde, morreu de COVID-19, relatou sua família na terça-feira (02).

Uma fotografia do idoso com seu paletó coberto de medalhas, publicada em sua conta oficial no Twitter, junto com a menção "Capitão Sir Tom Moore 1920-2021", serviu para anunciar a morte após se saber há poucos dias que ele havia contraido a doença.

Nomeado coronel honorário quando fez 100 anos em 30 de abril, Moore "se tornou não apenas uma inspiração nacional, mas um raio de esperança para o mundo", disse o primeiro-ministro Boris Johnson em um comunicado.

Veterano da Segunda Guerra Mundial, o “Capitão Tom” arrecadou em abril a soma inédita de 33 milhões de libras (cerca de 42 milhões de dólares na época), oficialmente reconhecida como recorde individual pelo Guinness, ao dar 100 voltas em seu jardim , por vários dias, ajudado por seu andador.

Tudo começou três semanas antes, quando ele começou a arrecadar 1.000 libras para associações ligadas ao serviço público de saúde britânico NHS.

Seu desafio chocou um país confinado pela primeira vez e gerou um fluxo sem precedentes de doações.

A Rainha Elizabeth II enviou "uma mensagem privada de condolências" à família, anunciou o Palácio de Buckingham.

"Os pensamentos da rainha e da família real estão com a família do capitão Sir Tom Moore", disse ele no Twitter.

Apesar de toda a investidura real que aconteceria em junho e julho passado ter sido adiada devido à pandemia, o monarca abriu uma exceção em 17 de julho para nomear cavaleiro este homem cativante que conquistou os corações dos britânicos.

Foi o primeiro compromisso público de Elizabeth II desde que ela ficou isolada em março no Castelo de Windsor com seu marido, o príncipe Philip, devido ao coronavírus.

acc/mb/ap