Morre David Trimble, ganhador do Prêmio Nobel e um dos arquitetos da paz na Irlanda do Norte

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Morreu nesta segunda-feira o ex-premier da Irlanda do Norte David Trimble, um dos principais nomes do processo de reconciliação entre protestantes e católicos na Irlanda do Norte, um papel que lhe rendeu o Nobel da Paz.

"Com grande tristeza, a família do Lorde Trimble anuncia que ele faleceu na primeira hora de hoje [segunda-feira] após uma curta doença", diz o comunicado do Partido Unionista do Ulster (UUP), sem dar detalhes. Trimble, que tinha 77 anos, liderou a sigla entre 1995 e 2005, e desde 2007 integrava o Partido Conservador, além de ocupar um assento na Câmara dos Lordes.

Líder do Sinn Féin: 'Haverá um referendo para a reunificação da Irlanda nesta década', diz presidente de partido republicano

Crise: Unionistas rejeitam participar de coalizão, e governo da Irlanda do Norte segue em impasse pós-Brexit

Trimble ficou conhecido como um ator central no diálogo para colocar fim a 30 anos de violência na Irlanda do Norte, que deixou cerca de 3,5 mil mortos. Ele foi o primeiro líder eleito unionista, favorável à manutenção dos laços com Londres, a se reunir com representantes do Sinn Féin, o partido nacionalsta irlandês, e com integrantes do governo de Dublin.

O resultado das negociações veio em 1998, com o Acordo da Sexta-Feira Santa, que estabeleceu as bases para a normalização das relações entre os principais partidos irlandeses, além de delimitar como seriam os laços de Belfast com Dublin e, especialmente, Londres. Os esforços foram reconhecidos pela comissão do Prêmio Nobel da Paz, e ele foi anunciado como o vencedor daquele ano, ao lado do líder nacionalista John Hume.

Em janeiro: Irlanda pede justiça no 50º aniversário do Domingo Sangrento

Também em 1998, se tornou a primeira pessoa a ocupar o cargo de primeiro-ministro da Irlanda do Norte, ao lado de Seamus Mallon, líder do nacionalista irlandês Partido Social-Democrata e Trabalhista (SDLP, sigla em inglês), que foi seu vice-premier.

“David Trimble foi um homem de coragem e visão. Ele escolheu agarrar a oportunidade para a paz quando ela foi apresentada, e agiu para pôr fim a décadas de violência que abalaram sua querida Irlanda do Norte”, escreveu, em comunicado, o líder do UUP, Doug Beattie. “Ele sempre estará associado à liderança que demonstrou nas negociações que levaram ao Acordo de Belfast [Acordo da Sexta-Feira Santa] de 1998”.

Futuro incerto?: Reino desunido e rejeição da monarquia em ex-colônias rondam sucessão de Elizabeth II

A líder do Sinn Féin, Mary Lou McDonald, disse no Twitter que “sua contribuição para a construção de um processo de paz na Irlanda permanecerá como um legado vivo e orgulhoso de sua vida política”. Os dois candidatos à liderança do Partido Conservador britânico, Rishi Sunak e Liz Truss, fizeram uma homenagem a Trimble antes de um debate na TV, e o chamaram de “gigante”.

No Twitter, o premier irlandês, Micheal Martin, se disse "profundamente entristecido" com a notícia, e destacou " papel crucial e valente na instauração da paz na Irlanda do Norte".

Brandon Lewis, que pediu demissão recentemente como secretário de Estado do Reino Unido para a Irlanda do Norte, chamou Trimble de "estadista brilhante e servidor público dedicado". "Seu legado como arquiteto do Acordo da Sexta-feira Santa viverá para sempre", escreveu no Twitter. "O povo do Reino Unido tem uma imensa dívida com ele por tudo o que conseguiu pela nossa união."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos