Morre em atentado um jornalista de rádio afegã financiada pelos EUA

·1 minuto de leitura
Um jornalista afegão que trabalhava para uma emissora de rádio financiada pelos Estados Unidos na explosão de seu veículo no sul do país
Um jornalista afegão que trabalhava para uma emissora de rádio financiada pelos Estados Unidos na explosão de seu veículo no sul do país

Um jornalista afegão que trabalhava para uma emissora de rádio financiada pelos Estados Unidos morreu nesta quinta-feira (12) na explosão de seu veículo no sul do Afeganistão, informou uma fonte administrativa local.

Aliyas Dayee, funcionário da Radio Liberty, morreu na explosão de uma bomba colocada embaixo de seu veículo em Lashkar Gah, capital da província de Helmand, palco de confrontos violentos entre os talibãs e as forças afegãs nas últimas semanas, informou o porta-voz do governador local, Omar Zwak.

Dayee, de 33 anos, tinha uma filha, disse à AFP Rateb Noori, diretor do escritório da Radio Libery em Cabul.

O jornalista se dirigia ao clube de imprensa local com seu irmão, que ficou ferido, quando o carro explodiu, segundo Noori.

Sediq Sediqqi, o porta-voz do presidente afegão, Ashraf Ghani, condenou o ataque, que até o momento não foi reivindicado.

"Sem nenhuma sombra de dúvida, o assassinato de Aliyas Dayee é obra dos inimigos da liberdade de expressão e dos meios de comunicação", tuitou Sediqqi.

A Radio Liberty, criada durante a Guerra Fria, é financiada pelo governo americano.

O atentado ocorre após a morte, em 7 de novembro, de Yama Siawash, um ex-apresentador de televisão que morreu em Cabul em circunstâncias semelhantes.

str-mam-jds/wat/eb/cyb/jvb/mar/aa