Morre a escritora, jornalista e tradutora Olga Savary, aos 86 anos

A escritora Olga Savary, em foto de 1998

RIO — Morreu neste sábado a escritora paraense Olga Savary, aos 86 anos, no Rio de Janeiro. A causa ainda não foi confirmada.

Olga nasceu em Belém do Pará, no dia 21 de maio de 1933. Poeta, contista, romancista, jornalista e tradutora, a autora é conhecida por er a primeira mulher a publicar uma coletânea de poemas eróticos no Brasil, "Magma", lançado em 1982.

Entre os muitos prêmios que recebeu durante a carreira, destacam-se o Jabuti, em 1971, por "Espelho provisório", o Prêmio de Poesia da Associação Paulista de Críticos de Arte, em 1977, por "Sumidouro", e o Prêmio Artur Sales de Poesia — da Academia de Letras da Bahia — por "Berço esplêndido" (1987).

Admirada por poetas como Carlos Drummond de Andrade e Ferreira Gular, de quem ela também foi amiga próxima, Olga traduziu dezenas de obras de grandes nomes da literatura latino-americana, como Júlio Cortázar, Jorge Luis Borges, Carlos Fuentes, Mario Vargas Llosa e Pablo Neruda.

Durante sua trajetória, a poeta também atuou como colaboradora e correspondente de diversos veículos de imprensa tanto no Brasil quanto no exterior.

*Em atualização

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.