Morre filho do escritor Paul Auster, acusado da morte da filha de 10 meses

Escritor americano Paul Auster, que perdeu filho e neta (AFP/JEFF PACHOUD) (JEFF PACHOUD)

Daniel Auster, filho do famoso escritor americano Paul Auster e recentemente acusado da morte de sua filha de dez meses por overdose de fentanil e heroína, morreu na terça-feira (26) - confirmou a polícia de Nova York à AFP nesta quinta (28).

Daniel Auster, de 44 anos, foi encontrado inconsciente em uma plataforma do metrô em 20 de abril e transferido para o Hospital Brooklyn, onde faleceu seis dias depois.

O filho do premiado escritor estava em liberdade condicional, após ser indicado, recentemente, pelo homicídio por negligência de sua filha de dez meses de idade. No corpo da criança, foi encontrada uma quantidade de droga suficiente para "deixar um adulto inconsciente".

Segundo o jornal The New York Post, que cita fontes próximas ao caso, Daniel Auster morreu de overdose.

Mais de 100.000 pessoas morreram por overdose de drogas, entre abril de 2020 e abril de 2021, nos Estados Unidos, segundo dados oficiais. E, desde 1999, foram 841.000 óbitos no país por esse mesmo motivo.

Em Nova York, 77% das mortes por drogas foram causadas pelo uso de fentanil, um poderoso opioide sintético 50 a 100 vezes mais forte que a morfina. Muitas vezes, esta substância é usada como analgésico e misturada com heroína, ou cocaína.

Foi este coquetel explosivo que matou Michael K. Williams, protagonista da série The Wires, em 6 de setembro passado.

"A epidemia de overdose está matando um nova-iorquino a cada quatro horas, e é uma crise de saúde pública que afeta muitas pessoas", alertou, recentemente, o chefe do Departamento municipal de Saúde, dr. Ashwin Vasan.

af/llu/mr/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos