Morre fotojornalista Bruno Barbey, um dos grandes nomes da agência Magnum

·1 minuto de leitura
O fotógrafo francês Bruno Barbey na Academia Francesa em Paris, após ser eleito o novo membro da Academia de Belas Artes, em 13 de abril de 2016
O fotógrafo francês Bruno Barbey na Academia Francesa em Paris, após ser eleito o novo membro da Academia de Belas Artes, em 13 de abril de 2016

O prestigiado fotógrafo franco-suíço Bruno Barbey, ex-chefe da agência Magnum, morreu nesta segunda-feira (9) aos 79 anos, informou a Academia de Belas Artes de Paris.

Barbey, nascido no Marrocos, imortalizou grandes acontecimentos históricos durante cinco décadas em que trabalhou em todo o mundo, do Japão à Amazônia brasileira. Ele cobriu conflitos na Nigéria, Oriente Médio, Irlanda do Norte, Iraque e Bangladesh.

Foi o autor de cerca de trinta livros e costumava retornar ao local de suas primeiras reportagens, às vezes 30 anos depois, para dar à fotografia seu valor de trabalho de memória, disse a Academia em um comunicado.

Barbey ficou conhecido com uma reportagem em preto e branco sobre a sociedade italiana na década de 1960. Na época, ele conheceu Henri Cartier-Bresson e Marc Riboud e, aos 15 anos, entrou na Magnum, agência na qual ocupou cargos de prestígio, como a presidência da Magnum Internacional (1992-1995).

Suas fotografias fazem parte do acervo de grandes museus. Seu último livro, "Colour of China", foi publicado em 2019.

jlv/rh/mm/bl/eg/ic/mvv