Morre Frederik de Klerk, Nobel da Paz e último presidente branco da África do Sul

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Morreu na manhã desta quinta-feira (11) o último presidente branco da África do Sul, Frederik Willem de Klerk, aos 85 anos, em decorrência de um câncer no pulmão. De Klerk morreu em sua casa, na Cidade do Cabo, uma das capitais da África do Sul.

Descendente de Africâners, os colonizadores de origem holandesa, De Klerk nasceu em Joanesburgo, em 18 de março de 1936. Seu pai foi membro do Partido Nacional (PN), o principal responsável pela política do apartheid.

Apesar de seu passado racista —ele chegou a fazer parte de uma sociedade secreta que defendia a supremacia branca—, que nunca escondeu, De Klerk dividiu com Nelson Mandela o Nobel da Paz em 1993, pelo trabalho conjunto que levou ao fim do apartheid, o regime de segregação racial que durou quase 50 anos na África do Sul.

Ele deixa a esposa, Elita, e os filhos, Jan e Susan.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos