Morre Jovan Divjak, símbolo do cerco de Sarajevo

·2 minuto de leitura
Divjak foi um dos poucos sérvios étnicos a lutar ao lado do exército da Bósnia

O ex-general do exército bósnio e símbolo do cerco de Sarajevo, Jovan Divjak, morreu nesta quinta-feira (8) na capital da Bósnia aos 84 anos, anunciou a associação que ele dirigia.

Apoiador de uma Bósnia multiétnica e cidadã, Jovan Divjak faleceu "após uma longa doença", disse em um comunicado a associação "A educação constrói a Bósnia-Herzegovina", que fundou em 1994 para conceder bolsas de estudo a órfãos da guerra intercomunitária (1992-1995, 100.000 mortos).

Quando a guerra atingiu Sarajevo em abril de 1992, Divjak, aposentado do exército iugoslavo, era membro das forças de defesa territorial da Bósnia.

Divjak veio de uma família sérvia da Bósnia. Filho de um mestre nômade, nasceu em Belgrado e ingressou no Exército do Povo Iugoslavo (JNA) após ter frequentado a academia militar.

Sua decisão de ficar do lado dos defensores de Sarajevo contra as forças sérvias ilustrou "a disposição de dizer que não podemos ser exclusivamente membros de um povo", disse ele à AFP em 2017.

Ele tomou essa decisão em 8 de abril de 1992, no início de um cerco de três anos e meio contra a cidade da Bósnia.

Para o militar, considerado "traidor" por muitos sérvios, nada mais lógico do que "ficar com o povo de Sarajevo". Ele havia se estabelecido lá com sua família em 1966.

"A ideia de um exército multiétnico da Bósnia me conquistou", ele contou à AFP em 2017. Esse exército, no entanto, consistia principalmente de bosníacos (muçulmanos), que lutavam contra as forças sérvias e croatas.

Em 1999, renunciou ao posto de general e passou a se dedicar integralmente ao trabalho dentro da associação que dirigia, responsável por conceder milhares de bolsas a órfãos nas três comunidades e também a crianças de famílias sem recursos.

Se declarava "bósnio", formando assim parte dos 3% dos cidadãos desse país de 3,5 milhões de habitantes que se recusam a definir-se como croatas (católicos), sérvios (ortodoxos) ou bosníacos (muçulmanos).

rus/mr/jvb/gma