Morre jovem com suspeita de coronavírus em hospital da Tijuca

Lucas Altino
Hospital Badim fica no Maracanã, no Rio de Janeiro (Foto: Fábio Motta/Agência O Globo)

Um jovem de 27 anos faleceu na madrugada deste domingo no Rio de Janeiro com sintomas da coronavírus, segundo amigos e familiares. Integrante de um grupo de pagode e portador de bronquite, ele começou a apresentar sintomas do vírus na última segunda-feira (16) e procurou atendimento médico, mas não realizou testes e recebeu apenas orientações para se tratar em quarentena. No sábado, seu quadro piorou e ele foi internado no Hospital Badim, na Tijuca, onde veio a óbito horas depois.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Desde a manhã deste domingo (22), mensagens circulam na internet dando conta do suposto falecimento em decorrência da covid-19, o que seria o primeiro caso de um jovem, no Rio. Diversos amigos do rapaz comentaram em fotos suas no Instagram atrás de maiores informações e lamentando a sua morte.

Leia também

Procurado, o Hospital Badim respondeu que não informa condições clínicas de seus pacientes e que, a respeito de casos suspeitos da covid-19, reporta diretamente ao Centro de Informações Estratégicas e Resposta de Vigilância em Saúde (CIEVS), do governo do estado. Procurada, a Secretaria Estadual de Saúde ainda não confirmou o caso.

Na última segunda, o jovem teria começado a sentir febre e tosse forte, por isso procurou atendimento médico, segundo os amigos. Mas, ele não foi testado para saber se estava infectado e foi orientado a se tratar em casa, em quarentena. Neste sábado, porém, o jovem reclamou de falta de ar e dores no peito e então foi às pressas ao Badim. Lá, teria sido constatada a presença de manchas em seu pulmão, e ele não resistiu.

O rapaz estudou no Colégio de Aplicação da UFRJ fez faculdade na FACHA. Vascaíno e apaixonado por futebol, o último evento com aglomeração que teria estado presente foi no jogo entre Vasco e Goiás em São Januário, no último dia 12. Por ser fumante e ter bronquite, ele era do grupo de risco. Amigos relataram que ele tinha imunidade baixa.

Integrava o grupo de pagode Deu Liga, famoso por fazer muitos eventos no Barril 8000 do Méier. O jovem era morador da região, no Cachambi. Seu último post no Facebook foi justamente uma mensagem cobrando que a sociedade acate as medidas de prevenção contra o coronavírus, e fique em quarentena.