Morre Keith Levene, guitarrista fundador do Clash e do Public Image Ltd

Fundador de importantes grupos do punk (The Clash) e do pós-punk (Public Image Ltd), o guitarrista inglês Keith Levene, morreu esta sexta-feira, aos 65 anos.

A notícia foi dada pelo escritor Adam Hammond, que escreveu em suas redes sociais: “Não há dúvida de que Keith foi um dos guitarristas mais inovadores, audaciosos e influentes de todos os tempos (...) Seu trabalho de guitarra ao longo dos nove minutos de ‘Theme’, primeira faixa do primeiro álbum do PiL, definiu o que deveria ser a música alternativa."

Depois de trabalhar como roadie para o grupo de rock progressivo inglês Yes no início dos anos 1970, Levene fundou o Clash em 1976, ao lado do guitarrista Mick Jones. Foi ele quem convenceu o cantor Joe Strummer a deixar sua banda na época – The 101ers – e se juntar aos dois.

Bruce Willis após afasia: Cuidados com jardim e distância de barulhos fazem parte da rotina

Demi Moore completa 60 anos: Ícone dos anos 90, vendida por R$ 2 mil pela mãe e sexo a três; veja trajetória

Keith Levene deixou o Clash antes de a banda começar a lançar discos – embora a canção que compôs com Strummer e Jones, "What's my name", tenha entrado no primeiro LP da banda, de 1977, que ajudou a inaugurar o punk rock na Inglaterra.

O guitarrista então se juntou a John Lydon, cantor que tinha acabado de sair de outra lendária banda do punk (os Sex Pistols) para formar a Public Image Ltd. Seu estilo ácido de tocar (numa guitarra com braço de metal) foi decisivo para o êxito do grupo em LPs como "First issue" (1978), "Metal box" (1979) e "The flowers of romance" (1981).

Em 1983, Levene deixou o PiL, começou uma carreira solo e mudou-se para Los Angeles, onde chegou a ser escalado para produzir fitas demo para o grupo Red Hot Chili Peppers, então em início de carreira.