Morre Ken Starr, procurador que investigou Bill Clinton no caso Monica Lewinsky

Ken Starr, o procurador designado para a investigação que levou ao processo de impeachment do então presidente americano, Bill Clinton, em 1998, morreu nesta terça-feira (13) aos 76 anos, anunciou sua família.

Starr morreu na cidade texana de Houston em um hospital, "devido a complicações resultantes de uma intervenção cirúrgica", informou sua família em nota.

Starr ganhou notoriedade mundial no fim da década de 1990 por seu trabalho como procurador especial que investigou o caso de Clinton com a estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky.

Durante o processo, o ex-juiz e ex-procurador especial obrigou o então presidente a expor publicamente detalhes de seu relacionamento com Lewinsky, mas isso não foi o bastante para acabar com ele: Clinton acabou sendo absolvido pelo Senado em 1999.

Starr, que nunca ocultou suas inclinações republicanas, passou a trabalhar como advogado, professor, reitor da Universidade de Baylor entre 2010 e 2016 e comentarista no canal conservador Fox News.

Em 2020, atuou na defesa de Donald Trump durante seu primeiro julgamento político. Acusado de ter condicionado a ajuda militar à Ucrânia à abertura de uma investigação sobre o filho de seu adversário, Joe Biden, o presidente republicano foi absolvido graças ao apoio dos senadores de seu partido.

cl/bgs/atm/mr/mvv