Morre Mariss Jansons, maestro que dirigiu as mais prestigiadas filarmônicas do mundo

O Globo, com agências

SÃO PETERSBURGO — O célebre maestro letão Mariss Jansons, que durante sua carreira dirigiu as mais prestigiadas filarmônicas do mundo, morreu aos 76 anos, em São Petersburgo, na Rússia, onde morava. A informação foi anunciada por autoridades russas neste domingo.

"Sincera gratidão por sua grande arte que permanecerá em nós para sempre", declarou o governador de São Petersburgo, Alexander Beglov, acrescentando que Mariss Jansons era um "maestro notável". "Recebemos esta manhã a triste e chocante notícia da morte de Mariss Jansons", lamentou a Filarmônica de Viena, três vezes dirigida pelo letão em seu aclamado concerto de Ano Novo.

Jansons morreu em casa, de acordo com relatos de autoridades russas. Segundo seus familiares, citados pela imprensa russa, Jansons, que havia sofrido vários infartos, morreu por insuficiência cardíaca. Desde 2003, ele dirigia a Orquestra Sinfônica da Rádio Bavaresa, após ter liderado outras formações de prestígio como o Concertgebouw, de Amsterdã (2004-2016), a Orquestra Filarmônica de Oslo e a Orquestra Sinfônica de Pittsburgh.

Jansons nasceu em 14 de janeiro de 1943 em Riga, filho do maestro austríaco Arvid Jansons. Foi aluno do austríaco Herbert von Karajan (1908-1989) e do russo Yevgueni Mravinski (1903-1988). Também estudou violino, piano e direção no conservatório de Leningrado.