Morre mulher intoxicada com fumaça de ato contra reforma da Previdência

Mulher estava no primeiro ônibus e sofreu duas paradas cardíacas enquanto era socorrida. (Foto: Reprodução/TV Globo)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Mulher se intoxicou pela fumaça dos atos da greve, em BH

  • Vítima morreu após 4 dias internada no CTI

Morreu nesta segunda-feira (17) a mulher que ficou em estado gravíssimo após ter inalado fumaça durante um ato contra a reforma da Previdência em Minas Gerais, realizado na última sexta-feira (14), durante a chamada greve geral.

As informações são do portal UOL.

Edi Alves Guimarães, 53 anos, ficou quatro dias internada em um CTI (Centro de Terapia Intensiva) de um hospital em Belo Horizonte.

Leia também

Mãe de 8 filhos, ela estava no ônibus a caminho trabalho quando inalou a fumaça de uma barricada de pneus queimados em frente a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Os demais passageiros do ônibus não foram intoxicados pela queima dos pneus.

De acordo com informações da Polícia Militar de BH, o incidente ocorreu por volta das 6h40, quando o protesto fechou o trânsito na Avenida Antônio Carlos, na Pampulha.

O ônibus onde Edi estava era o primeiro em frente à manifestação e, por isso, foi um dos mais afetados. Ela foi socorrida por policiais, mas a caminho do hospital teve duas paradas cardiorrespiratórias dentro da viatura.

A manifestação de apoio à greve realizada no dia 14 de junho ocorreu na capital mineira e em outras mais de 100 cidades do país.

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Risoleta Neves, Edi teve a morte encefálica confirmada na tarde desta segunda.