Morre o bailarino e coreógrafo Rubens Barbot, aos 72 anos

Morreu nesta quinta-feira (28), aos 72 anos, o bailarino e coreógrafo gaúcho Rubens Bardot, referência na dança negra brasileira. Ele estava internado no Hospital Municipal Souza Aguiar, Centro do Rio. A causa da morte não foi divulgada, mas o artista estava acamado desde 2019.

Christiane F.: O que aconteceu com a mulher que inspirou livro e filme há mais de 40 anos

'Pantanal': Velho do Rio deixa Juma chocada com revelação sobre gravidez

Nascido na cidade de Jaguarão, criado em Rio Grande (RS) e radicado no Rio desde 1989, Bardot fundou a Companhia Rubens Barbot de Teatro e Dança, considerada a primeira companhia negra de dança contemporânea do Brasil, e dedicou mais de trinta anos à pesquisa de movimentos dos corpos negros no país. Fundou nos anos 1990 espaço dedicado à arte negra carioca, o Terreiro Contemporâneo, no Centro.

Iniciou seus estudos na dança no final dos anos 1960, em Porto Alegre com João Luiz Rolla. Antes de vir para o Rio de Janeiro, passou pela Escola de Ballet Contemporâneo, em Buenos Aires, a convite do bailarino Tony Abbott. Já no Brasil, com sua companhia, montou dezenas de espetáculos, entre eles "Suspeito silêncio" (1990), "Dança Naná" (1993), "Não é mar, mas é salgado" (2000) e "Quase uma história" (2006).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos