Morre capitão Tom Moore, britânico de 100 anos que bateu recorde de arrecadação

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
MILTON KEYNES, ENGLAND - SEPTEMBER 17: Captain Sir Tom Moore poses during a photocall to mark the launch of his memoir "Tomorrow Will Be A Good Day" at The Coach House on September 17, 2020 in Milton Keynes, England. (Photo by Samir Hussein/WireImage)
Moore arrecadou mais de 30 milhões de libras esterlinas percorrendo seu jardim 100 vezes. (Foto: Samir Hussein/WireImage)

Morreu aos 100 anos, nesta terça-feira (2), o capitão Tom Moore, veterano da 2ª Guerra Mundial que bateu um recorde de arrecadação para o serviço de saúde britânico em meio à pandemia do novo coronavírus.

Moore estava hospitalizado por conta da Covid-19 desde o fim de janeiro. A informação da morte foi dada pelos familiares, que fizeram uma postagem na conta oficial do Twitter do britânico.

"É com grande tristeza que anunciamos a morte de nosso querido pai, o capitão Sir Tom Moore", disseram suas filhas em um comunicado.

No ano passado, Moore arrecadou ao NHS (Serviço Nacional de Saúde, em inglês) mais de 38 milhões de libras esterlinas — cerca de R$ 241 milhões — percorrendo seu jardim 100 vezes durante o lockdown na Inglaterra.

Leia também:

Ele esperava arrecadar somente mil libras esterlinas.

Ao invés disso, arrecadou 38,9 milhões, quebrou dois recordes do Guinness, emplacou uma canção no topo das paradas, escreveu uma autobiografia e ajudou a criar uma instituição de caridade. Em julho, recebeu o título de cavaleiro real pela rainha Elizabeth, tornando-se “sir Tom Moore”.

Moore foi internado no hospital de Bedford depois de ser diagnosticado com o vírus no sábado. Na segunda-feira, o hospital de Bedford disse em um comunicado que familiares de Moore o estavam visitando e pediu à mídia que respeite sua privacidade.

A notícia de sua internação desencadeou mensagens de apoio do Reino Unido e além, inclusive do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, do Exército britânico, da seleção de futebol inglesa e do chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Reino Unido está vacinando toda a sua população de idosos contra o coronavírus, mas, segundo um representante familiar, Moore não havia recebido a vacina por estar sendo tratado de pneumonia.

Esta nota está sendo completada