Morre o dicionarista Roberto Côrtes de Lacerda, aos 78 anos, vítima de coronavírus

RIO - O tradutor e dicionarista Roberto Côrtes de Lacerda morreu nesta quarta-feira, 29, aos 78 anos, vítima de coronavírus. Ele sofreu uma parada cardíaca no Quinta D’Or, em São Cristovão, na Zona Norte do Rio, onde estava internado desde o dia 23. Co-autor do Dicionário Houaiss e coordenador do Dicionário Aurélio Buarque de Holanda da Língua Portuguesa, Côrtes de Lacerda também escreveu "Dicionário de Provérbios" e uma adaptação para a "Odisseia" de Homero. Ele deixa a esposa, três filhos e seis netos.

Nascido no Rio de Janeiro em 1941, Côrtes de Lacerda destacou-se como filólogo e dicionarista. Foi co-autor do "Grande Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa" iniciado em 1985, e cuja primeira edição foi lançada em 2001. Trabalhou ainda nas editoras Hachette e Nova Fronteira e na Enciclopédia Britânica.

Também teve atuação importante na equipe de Aurélio Buarque de Holanda que elaborou e atualizou o "Dicionário da Língua Portuguesa". Seu lema era “para não morrer, um dicionário tem sempre de ser atualizado”.

Incentivado pelo amigo Paulo Rónai, tornou-se tradutor de francês. A partir de uma tradução para o francês de "A odisseia", ele publicou uma versão voltada para o público infanto-juvenil da obra de Homero.

Lançou ainda "Dicionário de Provérbios", escrito em parceria com a esposa, Helena da Rosa Côrtes de Lacerda. A obra reúne provérbios franceses, ingleses e portugueses, e teve uma segunda edição ampliada em 2004.

Côrtes de Lacerda contraiu coronavírus em março, na cidade do Porto, em Portugal, onde viajou para participar de um evento de vinhos.

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.